Felipão promove volta de cabeça-de-área à seleção

terça-feira, 5 de março de 2013 17:39 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 5 Mar (Reuters) - A derrota para a Inglaterra no primeiro jogo de Luiz Felipe Scolari em seu retorno à seleção brasileira será responsável pela volta do chamado cabeça-de-área à equipe na preparação para a Copa do Mundo de 2014.

Na partida contra os ingleses, em que o Brasil perdeu por 2 x 1 em Londres em fevereiro, o técnico campeão do mundo em 2002 seguiu a tendência do antecessor Mano Menezes e escalou a equipe com os volantes Paulinho e Ramires, ambos com boa saída de bola mas de marcação mais frouxa.

Felipão reprovou o posicionamento do time, que deu espaço ao adversário, e decidiu retornar a uma formação semelhante à utilizada por ele mesmo na conquista do pentacampeonato mundial na Ásia, tendo um homem de proteção fixo à frente dos zagueiros.

"Eu não quero deixar meus zagueiros no mano a mano, não vou deixar", disse Felipão, nesta terça-feira, em entrevista coletiva após convocar a equipe para os próximos jogos do Brasil, contra Rússia e Itália.

"Independentemente de quem seja, se não for esse, vai ser aquele, mas os meus zagueiros não vão ficar expostos no mano a mano toda hora. O nosso posicionamento em determinado momento não foi correto", acrescentou o treinador sobre o desempenho do Brasil contra a Inglaterra, em Wembley.

Para os jogos contra Itália e Rússia, em 21 e 25 de março, ambos na Europa, Felipão convocou pela primeira vez o cabeça-de-área Fernando, do Grêmio, a quem descreveu como jogador com características para proteger a defesa.

Outra possibilidade é adiantar o zagueiro David Luiz para jogar no meio-campo, como o cão-de-guarda da defesa. O jogador do Chelsea disse em recente entrevista à Reuters que está aberto a repetir na seleção o que já tem realizado no time londrino nesta temporada.

"Não gosto de deixar exposta a minha defesa, sem um jogador com características defensivas", disse o treinador. "Da forma como nós entendemos que devemos jogar daqui para frente não é a mesma forma que jogamos contra a Inglaterra, então vamos mudar um pouquinho."   Continuação...