Com proximidade da Copa do Mundo, problemas de transporte no Brasil só aumentam

terça-feira, 5 de março de 2013 18:44 BRT
 

Por Andrew Downie

SÃO PAULO, 5 Mar (Reuters) - Os projetos de transportes públicos para modernizar as cidades brasileiras para a Copa do Mundo de 2014 estão sendo reduzidos, adiados ou cancelados à medida que contestações legais, corrupção e falta de planejamento ameaçam tirar dos moradores o legado mais duradouro do torneio.

As 12 cidades-sede, interessadas em usar o evento para reformar a infraestrutura urbana, estabeleceram planos ambiciosos para construir novas linhas de metrô, monotrilhos e corredores de ônibus, mas, faltando 15 meses para o início dos jogos, parece improvável que todos os projetos serão concretizados.

"O legado social muito discutido parece que não vai sair do papel", escreveu o ex-atacante Romário (PSB-RJ), campeão mundial com o Brasil em 1994 e agora deputado federal, no mês passado em uma coluna de jornal.

"Quase todos os projetos de transportes estão atrasados, alguns foram adiados e vão ser inaugurados somente após a Copa do Mundo e outros foram cancelados."

Embora os números exatos ainda estejam mudando, pelo menos uma dúzia dos 49 projetos originais mudaram completamente.

Cinco cidades -- Brasília, Fortaleza, Manaus, Salvador e São Paulo -- não terão as linhas elétricas prometidas, as vias expressas para ônibus ou ligações de metrô prontas, disse Valmir Campelo, ministro do Tribunal de Contas da União, que monitora o planejamento da Copa.

O calendário está "extremamente apertado" em outros casos, acrescentou Campelo. Como muitos dos projetos não estariam prontos, as autoridades de várias cidades discutem fechar escolas e declarar feriados em dias de jogos para evitar engarrafamentos.

"Isso definitivamente não vai deixar o legado que poderia ou deveria", disse Campelo à Reuters.   Continuação...