Conmebol pune Vélez a jogar sem torcida na Libertadores por tumulto em partida

quarta-feira, 6 de março de 2013 12:30 BRT
 

ASSUNÇÃO, 6 Mar (Reuters) - O Vélez Sarfield, da Argentina, terá de jogar sua próxima partida da Copa Libertadores a portas fechadas, depois dos incidentes protagonizados por sua torcida em um jogo contra o Peñarol em Montevidéu, informou a Confederação Sulamericana de Futebol (Conmebol).

A sanção será aplicada na partida de volta contra o Peñarol, no dia 12 de março, em Buenos Aires. O Vélez também não poderá vender entradas aos torcedores para os confrontos em que disputar como visitante na Copa Libertadores até a semifinal, se avançar até lá.

Além disso, o clube foi multado em 100.000 dólares.

"Igualmente, proíbe-se aos times restantes da competição a vender entradas para o Club Atlético Vélez Sarfield e seus torcedores até a final, caso o clube mencionado chegue a se classificar", afirmou o comunicado do órgão regulador do futebol sulamericano.

O Peñarol, por sua vez, terá que pagar uma multa de 14.000 dólares.

O castigo da Commebol é similar ao aplicado recentemente ao Corinthians, depois da morte de um torcedor boliviano em um jogo pelo Grupo 5 da Libertadores, na cidade de Oruro, na Bolívia.

O jovem de 14 anos foi atingido por um sinalizador lançado pela torcida do Corinthians durante a partida contra o San José, realizada duas semanas atrás.

Vélez e Peñarol disputam a liderança do Grupo 4 da Libertadores, ambos com seis pontos em três partidas. O Emelec, do Equador, somou seis pontos em quatro partidas, depois de vencer o Deportes Iquique do Chile por 2 x 1, na terça-feira.

 
Torcedores do time argentino Vélez Sarsfield jogam objetos na torcida do uruguaio Peñarol durante jogo da Copa Libertadores, em Montevidéu. O Vélez Sarfield terá de jogar sua próxima partida da Copa Libertadores a portas fechadas, depois dos incidentes protagonizados por sua torcida em um jogo contra o Peñarol em Montevidéu, informou a Confederação Sulamericana de Futebol (Conmebol). 26/02/2013 REUTERS/Andres Stapff