Fifa cobra respeito à data de entrega de estádios da Copa após atrasos

terça-feira, 19 de março de 2013 19:57 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO, 19 Mar (Reuters) - Antes apontados como o ponto forte na preparação do Brasil para a Copa do Mundo de 2014, os estádios se transformaram em dor de cabeça para os organizadores, com atrasos e falhas que levaram a Fifa a reforçar a importância de entregá-los dentro do prazo.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse nesta terça-feira após encontro com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que os estádios do Mundial precisam ser entregues em dezembro deste ano, prazo que não foi respeitado no caso da Copa das Confederações.

"Concordamos que o prazo de dezembro de 2013 é essencial para a preparação do Mundial. Precisamos de tempo para nos prepararmos para receber os milhares de jornalistas e torcedores em junho de 2014, para que todas as instalações e estruturas possam ser plenamente utilizadas", afirmou Valcke em entrevista coletiva em Zurique, segundo o site da entidade.

Entre os seis estádios que não participarão da Copa das Confederações deste ano, pelo menos dois enfrentaram dificuldades recentemente ou ainda têm obstáculos a resolver.

O estádio de São Paulo, sede da abertura do Mundial, tem um impasse financeiro que ameaça paralisar a obra. O Corinthians, dono do estádio, e a empresa responsável pela construção ainda não conseguiram as garantias para viabilizar o empréstimo de 400 milhões de reais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A arena atingiu 66 por cento das obras concluídas neste mês. Atualmente, os trabalhos de construção concentram-se na montagem das estruturas metálicas do telhado do prédio oeste.

Em Cuiabá, uma das duas empresas que participavam das obras na Arena Pantanal deixou o consórcio devido a uma crise financeira e a outra companhia assumiu a parte total dos trabalhos.

A Secretaria da Copa (Secopa) de Mato Grosso garantiu que não haverá atraso e que o cronograma de entrega segue para outubro deste ano, porém o Tribunal de Contas do Estado alertou em relatório na segunda-feira sobre a necessidade de acelerar o ritmo.   Continuação...

 
O presidente da Fifa, Joseph Blatter (D), conversa com o ministro do Esporte, Aldo Rebelo (E), e o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, após entrevista coletiva em Zurique nesta terça-feira. REUTERS/Michael Buholzer