Otimista, Alonso quer confirmar bom desempenho da Ferrari na Malásia

quinta-feira, 21 de março de 2013 13:58 BRT
 

Por John O'Brien

SEPANG, Malásia, 21 Mar (Reuters) - Um ano atrás, Fernando Alonso usou toda a experiência de um bicampeão do mundo para tirar o máximo proveito de uma pausa na chuva e alcançar uma improvável vitória no Grande Prêmio da Malásia, guiando uma Ferrari pouco competitiva.

Este ano, depois de uma animadora segunda colocação atrás de Kimi Raikkonen, da Lotus, no Grande Prêmio da Austrália que abriu a temporada na semana passada, o espanhol tem muitos motivos para ficar otimista sobre as chances de chegar ao pódio novamente.

"Eu acho que você não pode comparar a corrida desta semana com a do ano passado, quando nós tivemos dificuldades no Q3 (terceira rodada de qualificação) e estávamos bem longe de onde queríamos estar", disse Alonso a repórteres em Sepang, nesta quinta-feira.

"Este ano, estamos melhores neste aspecto e temos um carro competitivo. Na Austrália, tudo funcionou muito bem para nós, e mostramos bom potencial, mas é um circuito estranho e incomum, portanto, este fim de semana para nós é um pouco de confirmação."

"Precisamos confirmar que o carro está com bom desempenho. Então, depois de alguns sentimentos positivos na Austrália, este é um teste muito real para nós e esperamos um fim de semana limpo, com o pódio sendo um alvo muito claro para alcançar", acrescentou.

Alonso largou em quinto no grid de Albert Park, mas logo estava na disputa na frente após os Red Bulls do campeão mundial Sebastian Vettel (terceiro) e de Mark Webber (sexto) serem incapazes de converter o ritmo de qualificação em domínio na corrida.

"Acho que esse Grande Prêmio é uma corrida muito interessante em muitos aspectos. Para nós, será a confirmação do nosso ritmo em Melbourne e também será uma referência para outras equipes", disse Alonso.

 
Piloto da Ferrari Fernando Alonso sorri ao entrar na suite de recepção da equipe no circuito internacional de Sepang, antes do Grande Prêmio da Malásia. 21/03/2013 REUTERS/Tim Chong