Polícia enfrenta manifestantes e invade antigo Museu do Índio no Rio

sexta-feira, 22 de março de 2013 15:42 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 22 Mar (Reuters) - O Batalhão de Choque da PM invadiu nesta sexta-feira o prédio do antigo Museu do Índio, no Rio de Janeiro, e expulsou indígenas e manifestantes que ocupavam o local, após o fracasso nas negociações pela desocupação da área entre o governo do Estado e cerca de 30 índios que moravam no local.

Depois de meses de impasse, a Justiça determinou a saída dos indígenas até quinta-feira do prédio vizinho ao Maracanã, na zona norte do Rio, onde os índios viviam desde 2006.

A polícia entrou em confronto com indígenas, alguns usando cocar e com o rosto e parte do corpo pintados, e militantes defensores da permanência deles no local. Policiais usaram gás de efeito moral e escudos antimotim para afastar a multidão. A confusão se espalhou para a rua, em meio aos carros que passavam perto do prédio.

Segundo a Polícia Militar, a decisão de invadir o museu no fim da manhã foi tomada depois que manifestantes colocaram fogo no terreno do prédio.

"A Polícia Militar negociou o tempo todo desde cedo. Quando os policiais intervieram, foi porque o fogo já estava se alastrando por toda a área e poderia pegar fogo em todo prédio. Se nós não interviéssemos, com certeza estaríamos agora diante de um prédio em cinzas", disse a jornalistas o coronel Frederico Caldas, relações públicas da PM.

"Houve a utilização da força necessária para desobstruir as vias. Não foram os índios que fizeram essa mobilização, foi um bando de agitadores", acrescentou.

O edifício, vizinho ao estádio do Maracanã, que passa por obras para a Copa do Mundo de 2014, estava abandonado desde que deixou de abrigar o museu no fim dos anos 1970. A partir de 2006, o local passou a servir de moradia para cerca de 30 índios, que deram o nome ao local de "Aldeia Maracanã".

O projeto original de reforma do estádio para o Mundial previa a demolição do prédio para dar espaço a um estacionamento, mas a proposta foi modificada pelo governo diante dos protestos e agora o edifício deve ser reformado para abrigar um museu esportivo.

Doze índios que aceitaram sair do local antes da invasão da polícia foram levados a um abrigo no centro da cidade, onde ficarão hospedados até que os alojamentos propostos pelo governo sejam construídos em um local a ser escolhido pelos indígenas, de acordo com a Secretaria Estadual de Assistência Social.   Continuação...

 
Índios protestam durante manifestação no Museu do Índio no Rio de Janeiro. O Batalhão de Choque da PM invadiu nesta sexta-feira o prédio do antigo Museu do Índio, no Rio de Janeiro, e expulsou indígenas e manifestantes que ocupavam o local, após o fracasso nas negociações pela desocupação da área entre o governo do Estado e os índios que moravam no local. 22/03/2013 REUTERS/Sergio Moraes