É cedo demais para nos descartarem, diz meio-campo da Espanha

domingo, 24 de março de 2013 14:36 BRT
 

MADRI, 24 Mar (Reuters) - É cedo demais para começar a falar sobre o fim de uma era para a Espanha, disse o meio-campista Santi Cazorla neste domingo, pouco antes de os campeões do mundo viajarem para enfrentar a França, rival do Grupo 1 pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

Empates consecutivos em casa contra os anfitriões da próxima terça-feira e contra a humilde Finlândia na sexta-feira deixaram a Espanha em segundo na tabela, dois pontos atrás do combinado de Didier Deschamps com quatro partidas por disputar.

Qualquer coisa que não seja a vitória em Paris faria os espanhóis encararem a possibilidade de ter que jogar os playoffs para conseguir entrar pela porta dos fundos no Mundial do Brasil.

Depois de vitórias emocionantes na Euro 2008, na Copa de 2010 e novamente na Euro 2012, têm surgido questionamentos sobre um possível final do ciclo de sucesso da Espanha.

"Não faz sentido duvidar deste time", afirmou Cazorla, atualmente no inglês Arsenal, em entrevista coletiva no campo de treinamento da seleção, nos arredores da capital, neste domingo.

"Hoje, no futebol, qualquer time pode tornar a vida difícil pra você. Ainda temos a mesma garra e, claro, não se pode falar no final de uma era".

A Espanha careceu de brilho no ataque e penou para transformar sua superioridade em gols em seus dois últimos embates, e sua posse de bola pareceu lenta e previsível em alguns momentos.

Além disso, o time sofreu gols de empate tardios por culpa de uma defesa incomumente descuidada.

"Nos dois últimos jogos ficamos devendo algumas coisas", acrescentou Cazorla. "Precisamos de mais variações, o time precisa converter a posse em chances de gol".

"Com a França vai ser diferente. Não sei se eles vão 'estacionar um ônibus na frente do gol (como a Finlândia fez)'... Ultimamente eles provaram que têm as ferramentas necessárias para jogar de um jeito diferente."

(Por Mark Elkington)