Hulk afirma que fica no Zenit e se diz "nas mãos de Deus"

domingo, 24 de março de 2013 17:05 BRT
 

Por Brian Homewood

LONDRES, 24 Mar (Reuters) - A ida do atacante brasileiro Hulk para o Zenit St Petersburg foi tudo menos tranquila: seus colegas se recusaram a jogar em protesto contra seu salário e o jogador se envolveu em um entrevero público com seu técnico.

Uma bomba caseira de mentira com as palavras "Fora Hulk" chegou a ser enviada ao clube e sua irmã passou um dia sob o poder de sequestradores no Brasil antes de ser libertada sem ferimentos.

O jogador de 26 anos, entretanto, insiste que tudo ficou no passado e que pretende ficar com os campeões russos no futuro previsível.

Hulk, cujo nome é Givanildo Vieira de Souza, se uniu ao Zenit em setembro pelo valor aproximado de 79 milhões de dólares, um recorde para a liga russa.

Anteriormente no Porto, onde manteve uma média de mais de um gol a cada dois jogos durante quatro temporadas, ele disse que ir para a Rússia não foi uma decisão leviana.

"Pensei muito e não me arrependo", declarou ele em entrevista coletiva no estádio Stamford Bridge, em Londres, onde a seleção brasileira de futebol enfrentará a Rússia em amistoso na segunda-feira.

"Queria uma aventura diferente. Gosto de jogar no Campeonato Russo, pode não ser o Campeonato Inglês, mas está melhorando, e em alguns anos será um dos melhores da Europa".

As águas não foram calmas no começo. Ainda em setembro o Zenith rebaixou o capitão russo Igor Denisov para o time reserva por ele se recusar a jogar e dar um ultimato para renegociar seu contrato na mesma faixa salarial de Hulk. Mais tarde Denisov pediu desculpas e foi aceito de volta.   Continuação...