Dois consórcios apresentam proposta para concessão do Maracanã

quinta-feira, 11 de abril de 2013 15:16 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 11 Abr (Reuters) - Um consórcio formado pela Odebrecht, que já atua na reforma do Maracanã, e pela empresa do bilionário Eike Batista IMX, que fez o estudo de viabilidade econômica do estádio, está entre os dois únicos grupos que oficializaram, nesta quinta-feira, o interesse em participar da concessão da arena à iniciativa privada, um processo marcado por polêmicas e protestos.

Junto com a IMX e a Odebrecht está a AEG, empresa que administra diversas arenas esportivas ao redor do mundo e que no Brasil tem acordos para administrar a Arena Pernambuco, também da Copa, e a nova arena do Palmeiras, que está em construção.

O outro grupo interessado na concessão do Maracanã é formado pela construtora OAS junto com as empresas Stadium Amsterdam (responsável pela Amsterdam Arena) e o grupo de mídia francês Lagardère, informou o governo do Estado, proprietário do complexo esportivo.

O vencedor da disputa será conhecido nos próximos dias, após a análise das propostas técnica e financeira e das garantias apresentadas. O ganhador vai explorar o complexo do Maracanã, que além do estádio inclui o ginásio Maracanãzinho, por 35 anos.

"São dois concorrentes muito fortes, empresas brasileiras com estrangeiras experientes na administração de arenas no exterior. Estamos satisfeitos", disse a jornalistas o chefe da Casa Civil do Estado, Régis Fichtner. "Vamos analisar as propostas e numa próxima sessão vamos anunciar o vencedor."

Vinte e uma empresas acessaram os dados da licitação, mas só os dois grupos apresentaram proposta.

O vencedor da licitação terá que demolir o parque aquático Júlio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros para a construção de um novo complexo multiuso que incluirá lojas, bares, restaurantes e um estacionamento nos arredores do estádio.

Também ficará a cargo da empresa vencedora a construção de um novo parque aquático e um centro de atletismo nas redondezas do complexo. O investimento previsto para o futuro concessionário completar as obras é de quase 600 milhões de reais.

O estádio do Maracanã, que está em obras ao custo de quase 900 milhões de reais para a Copa do Mundo de 2014, terá seu primeiro evento-teste após a reforma no dia 27 de abril, um jogo sem venda de ingressos organizado pelos ex-jogadores Ronaldo e Bebeto -- membros do Comitê Organizador Local da Copa.   Continuação...