Estádio de abertura da Copa das Confederações adia inauguração para maio

segunda-feira, 15 de abril de 2013 19:01 BRT
 

BRASÍLIA, 15 Abr (Reuters) - O governo do Distrito Federal informou nesta segunda-feira um novo adiamento na entrega do Estádio Nacional Mané Garrincha, e agora a arena só deve ser inaugurada oficialmente no dia 18 de maio, quando será realizado o primeiro evento-teste do estádio de abertura da Copa das Confederações.

A previsão era de que as obras fossem concluídas até esta segunda e a inauguração fosse realizada no domingo, quando Brasília completará 53 anos de fundação. Estava inclusive prevista a presença da presidente Dilma Rousseff.

A abertura da Copa dos Confederações será no dia 15 de junho, com o jogo entre Brasil e Japão, única partida que será recebida pelo Estádio Nacional Mané Garrincha.

Pelo novo cronograma, a arena será inaugurada apenas em 18 de maio, quando também será realizada a final do Campeonato de Brasília, o primeiro evento-teste do estádio, com público de até 30 mil pessoal.

O secretário extraordinário da Copa em Brasília, Cláudio Monteiro, disse que a decisão foi tomada nesta segunda, depois que o governador Agnelo Queiroz recebeu um laudo técnico informando que não haveria condições para o plantio adequado do gramado do estádio.

"A decisão foi tomada hoje em virtude da nota técnica (fornecida pela empresa que instalará o gramado)", disse Monteiro aos jornalistas.

"O governador não permitiu que essa decisão fosse procrastinada e só fosse anunciada às vésperas do evento", acrescentou.

O laudo da empresa Greenleaf, responsável pelo gramado, diz que as fortes chuvas em Brasília prejudicaram a execução de etapas que antecedem a instalação da grama como "terraplanagem, drenagem do campo e execução dos tubos coletores de águas".

Segundo a empresa, sem a perfeita confecção desses serviços poderia haver prejuízos "à qualidade final de todo o sistema de um gramado de padrão Fifa. Tais danos são irreversíveis, dificilmente sanados a posterior e no decorrer do uso do gramado", diz um trecho do laudo.   Continuação...