Barein aumenta número de prisões antes de corrida da F1

quinta-feira, 18 de abril de 2013 10:22 BRT
 

DUBAI, 18 Abr (Reuters) - O Barein prendeu várias pessoas acusadas de roubar e queimar carros, numa ofensiva de segurança interna no reino insular antes da corrida de Fórmula 1 no domingo, que a oposição vê como uma oportunidade para divulgar sua campanha pró-democracia.

Assistido por milhões de pessoas ao redor do mundo, o Grande Prêmio é o maior evento esportivo organizado pelo país aliado dos EUA, e o governo espera uma grande participação do público na corrida deste ano, apesar dos protestos violentos.

A agência de notícias estatal do Barein disse na quarta-feira que as autoridades prenderam um homem que mais tarde confessou a responsabilidade por um incidente em que um carro foi incendiado e explodiu no distrito financeiro do país, em 14 de abril.

Quatro outras pessoas acusadas de roubar e queimar um carro também foram presas, e uma outra pessoa foi detida acusada de bloquear uma estrada principal e causar danos a um veículo.

De acordo com a Anistia Internacional, ativistas de direitos humanos afirmaram que dezenas de manifestantes foram presos antes da corrida.

A organização Human Rights Watch disse em 10 de abril que a polícia prendeu 20 ativistas de oposição em cidades próximas ao circuito, com a aparente intenção de evitar uma repetição dos protestos de 2012.

O governo negou que as prisões tenham ocorrido e também nega as acusações de grupos de direitos humanos de que usa força excessiva para reprimir os protestos, e diz que as prisões de suspeitos estão de acordo com a lei.

(Por Yara Bayoumy)

 
Carro atravessa uma barricada montada por manifestantes contra o governo na vila de Jidhafs, no Barein. O governo prendeu várias pessoas acusadas de roubar e queimar carros, numa ofensiva de segurança interna no reino insular antes da corrida de Fórmula 1 no domingo, que a oposição vê como uma oportunidade para divulgar sua campanha pró-democracia. 18/04/2013. REUTERS/Hamad I Mohammed