Polícia reprime protestos no Barein um dia antes de GP da F1

sábado, 20 de abril de 2013 15:41 BRT
 

MANAMA, 20 Abr (Reuters) - Manifestantes aproveitaram a realização do Grande Prêmio do Barein de Fórmula 1 para protestar a favor da democracia no país, uma monarquia, e entraram em confronto com a polícia local.

Jovens bloquearam ruas e avenidas, queimaram pneus e jogaram pedras nas forças policiais, que revidaram com bombas de gás lacrimogêneo. Os confrontos se espalharam por diversas vilas ao redor de Manama, a capital do Barein, durante a tarde e a noite deste sábado, sucedendo os conflitos da última sexta-feira, disseram ativistas de direitos humanos e testemunhas.

Protestos como esses vêm acontecendo há dois anos. A oposição, de maioria xiita, acusa o governo, de orientação sunita, de usar o GP de F1 para esconder os problemas políticos do país e principalmente os abusos contra os direitos humanos. O governo diz que respeita as acusações e que todas elas estão sendo investigadas.

O príncipe herdeiro Salman al-Khalifa rechaçou a acusação da oposição de que o governo usa a F1 para disfarçar estes problemas.

"Nunca usamos a corrida para dizer que tudo vai bem. Nós reconhecemos que o país tem problemas, mas eles estão aí para serem resolvidos por meios políticos, o que está bem encaminhado", disse a jornalistas, em rara entrevista concedida no circuito de Sakhir.

Ele disse que o governo tolera os protestos pacíficos, mas que não se deve encorajar os oposicionistas "extremistas" que usam a violência e armas.

Sayed Yousif al-Muhafda, do Centro Barein para os Direitos Humanos, acredita que os protestos aconteceram em aproximadamente 20 localidades no sábado.

Em dez desses locais, manifestantes chegaram a entrar em confronto com a polícia, que revidou com gás lacrimogêneo e balas de borracha, disse al-Muhafda.

A polícia ainda repeliu manifestantes que tentavam marchar em direção à Praça da Pérola, local onde se concentrava a onda de protestos contra o governo em 2011, mas que foi destruída posteriormente.   Continuação...

 
Homem segura cartaz anti-F1 durante um protesto na vila de Jidhafs, no Barein. Manifestantes aproveitaram a realização do Grande Prêmio do Barein de Fórmula 1 para protestar a favor da democracia no país, uma monarquia, e entraram em confronto com a polícia local. 20/04/2013 REUTERS/STRINGER