Suárez, do Liverpool, é suspenso por 10 jogos por morder adversário

quarta-feira, 24 de abril de 2013 13:12 BRT
 

LONDRES, 24 Abr (Reuters) - O atacante do Liverpool Luis Suárez recebeu nesta quarta-feira da Associação de Futebol da Inglaterra (FA) uma suspensão de 10 jogos, depois de morder o zagueiro Branislav Ivanovic, do Chelsea, no fim de semana.

Suárez aceitou a acusação de conduta violenta após o incidente durante o empate de 2 x 2 na partida pela primeira divisão no domingo, mas contestou a visão da FA de que mereceria mais do que uma proibição de três jogos.

Uma comissão reguladora independente se reuniu em Londres nesta quarta-feira para decidir o destino do jogador uruguaio e acrescentou sete jogos à proibição costumeira por conduta violenta.

A suspensão começará imediatamente, o que significa que o artilheiro do Liverpool vai desfalcar seu time nos últimos quatro jogos desta temporada e nos seis primeiros no início da próxima.

O Liverpool, que expressou indignação com a decisão da comissão, tem até a sexta-feira para recorrer.

"Tanto o clube como o jogador estão chocados e desapontados com o rigor da decisão de hoje (quarta-feira) da Comissão Reguladora Independente", disse o diretor do Liverpool, Ian Ayre, em comunicado no site do clube.

O árbitro Kevin Friend não viu a mordida de Suárez no braço de Ivanovic, mas a televisão mostrou imagens repetidamente de Suárez cravando os dentes no jogador sérvio.

Suárez, de 26 anos, que já foi punido por morder um adversário enquanto jogava no clube holandês Ajax antes de ir para o Liverpool em 2011, pediu desculpas pela mordida depois do jogo e foi multado em 200 mil libras (305,7 mil dólares) pelo clube inglês.

(Reportagem de Martin Herman)

 
Luis Suárez, do Liverpool, celebra gol contra o Chelsea durante partida válida pela primeira divisão da Liga Inglesa, em Liverpool. O atacante recebeu nesta quarta-feira da Associação de Futebol da Inglaterra (FA) uma suspensão de 10 jogos, depois de morder o zagueiro Branislav Ivanovic, do Chelsea, no fim de semana. 21/04/2013. REUTERS/Phil Noble