Fibra óptica na Amazônia é mais importante que o hexa, diz governo

quarta-feira, 24 de abril de 2013 19:24 BRT
 

Por Brian Homewood

TURIM, 24 Abr (Reuters) - Para a maioria dos brasileiros, a conquista do hexacampeonato mundial será uma obsessão quando o país receber a Copa do Mundo de 2014, mas o governo garante que está mais interessado na implantação de redes de fibra óptica na Amazônia.

Durante anos, institutos de pesquisa e universidades da região ficaram isolados da rede de banda larga que atende a instituições semelhantes no resto do país. Mas, graças à Copa de 2014, eles agora estão conectados.

"Uma das coisas que fomos capazes de fazer por meio dos investimentos em telecomunicações para a Copa foi estabelecer conexões por fibra óptica para a região amazônica", disse à Reuters o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, durante visita à Itália para uma apresentação da Copa das Confederações.

"Então teremos uma rede nacional de pesquisa em banda larga, algo que sempre quisermos ter na ciência e tecnologia, por causa da Copa do Mundo. São benefícios que a gente geralmente não pensaria ou associaria à Copa."

Para Fernandes, esse tipo de avanço é mais importante para o governo do que a conquista do título.

"O mais importante é aproveitarmos a oportunidade que a Copa nos dá para tocarmos vários projetos estratégicos, isso é mais importante do que a imagem que projetamos e mais importante do que ganhar a Copa do Mundo", afirmou.

O Brasil foi anunciado em 2007 como sede da Copa de 2014, e para isso anunciou ambiciosos planos para construir ou reformar aeroportos, hotéis e transportes públicos, incluindo um trem-bala ligando o Rio a São Paulo.

Mas algumas obras públicas só vão ficar prontas depois da Copa, e outras acabaram arquivadas -- caso dos corredores de ônibus em Manaus e dos VLTs de Cuiabá e do aeroporto de Brasília.   Continuação...