Mourinho diz que será culpado por eventual fracasso do Real

segunda-feira, 29 de abril de 2013 13:44 BRT
 

MADRI, 29 Abr (Reuters) - O técnico do Real Madrid, José Mourinho, disse que será responsabilizado, e não seus jogadores, se o time não conseguir reverter uma desvantagem de 4 x 1 contra o Borussia Dortmund na partida de volta da semifinal da Liga dos Campeões, na terça-feira.

Mourinho foi contratado da Inter de Milão há três anos para ajudar o Real a conquistar o décimo título europeu, aguardado desde 2002, mas o treinador está à beira do terceiro fracasso consecutivo na semifinais.

"Em praticamente todos os clubes de futebol, o sucesso é de todos, mas o fracasso é sempre culpa do treinador", disse o português em entrevista coletiva, nesta segunda-feira.

"Estou perfeitamente calmo, porque eu sei que esta é a situação."

"Há treinadores fantásticos no futebol que nunca ganharam a Liga dos Campeões, eu ganhei duas, pelas quais eu devo agradecer a Deus. Mas vou continuar a lutar por uma terceira."

Mourinho, que venceu a principal competição europeia de clubes com o Porto em 2004 e com a Inter em 2010, mais uma vez teve que responder a uma série de perguntas sobre seu futuro, em meio a especulações de que ele vai sair do Real no final da temporada, apesar de ter contrato até 2016.

Ele até agora se absteve de garantir a permanência além de junho, e disse este mês que uma decisão sobre seu futuro será tomada no final da temporada.

Algumas reportagens afirmam que ele está prestes a se juntar ao Chelsea, onde não conseguiu vencer a Liga dos Campeões, e que o Real tinha escolhido o técnico do Paris St Germain, Carlo Ancelotti, como substituto.

(Reportagem de Iain Rogers)

 
Técnico do Real Madrid, José Mourinho, em coletiva de imprensa prévia à segunda partida da semifinal da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, no campo de treinamento Valdebebas, próximo a Madri. Mourinho disse que será responsabilizado, e não seus jogadores, se o time não conseguir reverter uma desvantagem de 4 x 1 contra o Borussia Dortmund na partida de volta da semifinal da Liga dos Campeões, na terça-feira. 29/04/2013. REUTERS/Susana Vera