Xeique acusado de abusos é eleito para dirigir futebol asiático

quinta-feira, 2 de maio de 2013 12:04 BRT
 

Por Patrick Johnston

KUALA LUMPUR, 2 Mai (Reuters) - O xeique do Barein Salman Bin Ebrahim Al Khalifa foi eleito nesta quinta-feira para a presidência da Confederação Asiática de Futebol (CAF), com 33 dos 46 votos possíveis, e também terá assento no poderoso comitê executivo da Fifa.

Salman derrotou um candidato dos Emirados Árabes e outro da Tailândia. Para que sua posse fosse possível, seu compatriota xeique Ali Bin Khalifa renunciou à sua vaga no comitê executivo da CAF, pois cada país membro só pode ter um representante no colegiado.

O barenita substitui o catariano Mohamed Bin Hammam, banido do futebol em 2011 por suspeita de tentar comprar votos para sua candidatura à presidência da Fifa. O chinês Zhang Jilong vinha dirigindo interinamente a entidade desde então.

Ao assumir o cargo, Salman disse que a CAF precisa de "reformas completas".

"O que precisamos é de uma CAF onde os tomadores de decisões sejam responsabilizados", afirmou.

Grupos de direitos humanos haviam pedido à Fifa para que barrasse a candidatura de Salman, a quem acusam de ter cometido violações de direitos humanos durante a onda de manifestações pró-democracia no seu pequeno país, em 2011.

Salman, presidente da Associação de Futebol do Barein, nega que jogadores tenham sido detidos, torturados e publicamente humilhados sob seu comando por terem participado de protestos.

(Reportagem de Ahmed Assar)

 
Novo presidente da Confederação Asiática de Futebol (CAF), Sheikh Salman, fala em coletiva de imprensa durante congresso extraordinário da AFC em Kuala Lumpur. O xeique do Barein Salman Bin Ebrahim Al Khalifa foi eleito nesta quinta-feira para a presidência da CAF, com 33 dos 46 votos possíveis, e também terá assento no poderoso comitê executivo da Fifa. 2/05/2013. REUTERS/Bazuki Muhammad