Odebrecht e Eike vão administrar o Maracanã

quinta-feira, 9 de maio de 2013 16:36 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 9 Mai (Reuters) - O Consórcio Maracanã, formado por Odebrecht, a empresa do bilionário Eike Batista IMX e a norte-americana AEG, foi declarado nesta quinta-feira vencedor da licitação para concessão do Maracanã e vai administrar o estádio mais emblemático do Brasil pelos próximos 35 anos, informou o governo estadual do Rio de Janeiro.

O grupo vai pagar um total de 181,5 milhões de reais em 33 parcelas pela concessão e terá de realizar obras de quase 600 milhões de reais no complexo do Maracanã. Somente a reforma do estádio, que será palco da final da Copa do Mundo de 2014, custou mais de 1 bilhão de reais aos cofres públicos.

A Odebrecht já integra o consórcio responsável pela obra para a Copa, enquanto a IMX realizou um estudo de viabilidade econômica do estádio prévio ao processo de licitação. A AEG administra diversas arenas esportivas ao redor do mundo, incluindo a Arena Pernambuco e o novo estádio do Palmeiras.

O outro consórcio interessado na concessão do Maracanã era formado pela construtora OAS junto com as empresas Stadium Amsterdam (responsável pela Amsterdam Arena) e o grupo de mídia francês Lagardère. O grupo disse que não vai recorrer.

O Consórcio Maracanã, que tem 90 por cento de participação da Odebrecht, 5 por cento da IMX e 5 por cento da AEG, fez a melhor proposta financeira e também recebeu a melhor avaliação técnica. Nesta quinta-feira, o governo aprovou a documentação de habilitação apresentada pelo consórcio e anunciou o resultado.

"O resultado não poderia ter sido melhor do que foi", disse o secretário-chefe da Casa Civil do Rio de Janeiro, Regis Fichtner, em coletiva de imprensa após o anúncio. Segundo Fichtner, o contrato será assinado antes do final de maio.

O Maracanã foi reaberto no final de abril com uma partida de exibição, mas com apenas um terço da capacidade de quase 79 mil pessoas, somente duas entradas funcionando e um verdadeiro canteiro de obras em parte do lado de fora.

Um evento-teste marcado para 15 de maio foi cancelado e o amistoso Brasil x Inglaterra, no dia 2 de junho, será o único teste completo da arena antes da Copa das Confederações, que acontece de 15 a 30 do mesmo mês.

O governo do RJ anunciou nesta semana que foi liberado um adicional de 200 milhões de reais para a obra, elevando o custo total a 1,049 bilhão de reais. Inicialmente, as obras estavam estimadas em 705 milhões de reais, mas problemas encontrados na cobertura durante a reforma já tinham elevado os custos para 859 milhões, segundo números da secretaria estadual de obras.   Continuação...

 
Visão geral da partida de futebol na reabertura do estádio Maracanã após reforma, no Rio de Janeiro. O Consórcio Maracanã, formado por Odebrecht, a empresa do bilionário Eike Batista IMX e a norte-americana AEG, foi declarado vencedor da licitação para concessão do Maracanã pelos próximos 35 anos. 27/04/2013 REUTERS/Ricardo Moraes