10 de Maio de 2013 / às 14:58 / 4 anos atrás

Real Madrid impõe lei do silêncio para acabar com guerra de palavras

Técnico do Real Madrid, José Mourinho, antes do início de partida da primeira divisão do campeonato espanhol de futebol contra o Málaga, no estádio Santiago Bernabeu, em Madri, 8 de maio de 2013. O Real Madrid decidiu não realizar a tradicional entrevista coletiva de prévia de suas partidas nesta sexta-feira em uma aparente tentativa de pôr fim à guerra de palavras entre o técnico José Mourinho e membros do elenco. 08/05/2013Susana Vera

MADRI, 10 Mai (Reuters) - O Real Madrid decidiu não realizar a tradicional entrevista coletiva de prévia de suas partidas nesta sexta-feira em uma aparente tentativa de pôr fim à guerra de palavras entre o técnico José Mourinho e membros do elenco.

A equipe nove vezes campeã da Europa visita o Espanyol no sábado e, caso não vença, dará de presente ao arquirrival Barcelona o quarto título espanhol em cinco anos.

Mesmo que o Real conquiste a vitória, o Barça precisa apenas de mais dois pontos para garantir o troféu, que pode ser conquistado em Madri, na partida contra o Atlético no domingo.

A polêmica de Mourinho com o goleiro e capitão da equipe Iker Casillas há uma semana foi seguida de uma defesa de Pepe do companheiro de equipe no último sábado, o que trouxe à tona as divisões dentro do vestiário merengue.

O presidente do clube, Florentino Pérez, fez uma rara entrada sob os holofotes na segunda-feira para pedir unidade nas últimas três semanas da temporada, mas Mourinho ignorou o pedido e falou contra Casillas e Pepe na terça-feira.

A torcida no estádio Santiago Bernabeu cantou o nome de Casillas quando ele apareceu no placar eletrônico entre os reservas antes da goleada de 6 x 2 sobre o Málaga pelo Campeonato Espanhol na quarta, enquanto Mourinho foi vaiado por grande parte do estádio.

Após o jogo Xabi Alonso e Raul Albiol, que também defendem a seleção espanhola, fizeram um apelo pela união do clube antes da final da Copa do Rei contra o Atlético de Madri, no dia 17 de maio, a última chance do Real levantar um troféu importante nesta temporada.

O futuro de Mourinho na capital espanhola tem sido alvo de grande especulação desde que o Real não conseguiu chegar à final da Liga dos Campeões, apesar de ele ter contrato com o clube até 2016.

O treinador português de 50 anos fez pouco para afastar os rumores de que voltaria a comandar o Chelsea, ao mesmo tempo que seus ataques contra Casillas e Pepe foram interpretados como evidência de que seu tempo à frente do Real está chegando ao fim.

Reportagem de Mark Elkington

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below