America's Cup investiga causas da morte velejador campeão olímpico

sábado, 11 de maio de 2013 12:52 BRT
 

SÃO FRANCISCO, 11 Mai (Reuters) - A morte do velejador britânico campeão olímpico Andrew "Bart" Simpson, em um acidente nos treinos para a America's Cup, levantou dúvidas sobre o futuro imediato da renomada corrida, e a maior autoridade do evento se recusou na sexta-feira a cancelar a competição neste ano.

Simpson foi campeão olímpico em Pequim-2008 e medalha de prata em Londres-2012 na classe Star, ambas as vezes superando a dupla brasileira formada pelos brasileiros Robert Scheidt e Bruno Prada, prata e bronze, respectivamente.

O acidente, ocorrido na Baía de São Francisco, que receberia as finais da America's Cup, em setembro, causou suspeitas sobre a segurança dos modernos catamarãs, que se tornaram populares na vela.

Eles são desenhados para competir em ventos de 30 nós, ou quase 56 km/h, e atingem velocidades de até 80 km/h.

Falando a repórteres um dia após a morte de Simpson, duas vezes medalhista olímpico, o CEO da America's Cup, Stephen Barclay, disse que todos os aspectos da regata serão revisados completamente antes de os organizadores decidirem como proceder com a competição deste ano.

Barclay disse que "nada está descartado", ao ser questionado se a organização considera usar outros barcos que não os catamarãs na corrida.

Quando perguntado sobre a possibilidade de a prova deste ano, que começa com a fase de classificação em julho, ser cancelada, Barclay repetidamente disse: "Analisaremos o que aconteceu por meio de uma revisão de processos".

O website Sailing Anarchy, muito respeitado entre os praticantes da vela, escreveu: "Vamos encarar a verdade: todos nós sabíamos que isso aconteceria. Qualquer coisa que veleja a 45 nós vai machucar seus ocupantes mais cedo ou mais tarde".

Autoridades da prova disseram que o barco realizava uma manobra quando virou e quebrou. Dez tripulantes nadaram e foram salvos pelos barcos de apoio. Simpson, por sua vez, foi jogado para baixo do barco e não foi localizado imediatamente.

"Aparentemente, Bart ficou preso sob as seções sólidas do iate, fora de vista do grande número de pessoas a bordo", afirmou o diretor da regata, Iain Murray. "Precisamos entender como perdemos uma pessoa em um barco pequeno, com muitas pessoas olhando."

Uma porta-voz dos Bombeiros da cidade disse que Simpson ficou de 10 a 15 minutos submerso antes de os mergulhadores o encontrarem. Os esforços de ressuscitação foram inúteis. Outro tripulante sofreu pequenas lesões.