Neymar admite "frio na barriga" por Barça, mas promete foco na seleção

terça-feira, 28 de maio de 2013 17:28 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 28 Mai (Reuters) - Neymar reconheceu estar com "frio na barriga" para jogar ao lado de Lionel Messi no Barcelona, mas garantiu que sua cabeça estará voltada para a seleção brasileira, a partir desta terça-feira, para a disputa da Copa das Confederações.

O atacante de 21 anos, que na segunda-feira assinou um acordo com o Barcelona por cinco anos após ser contratado junto ao Santos, se apresenta mais tarde nesta terça à seleção em um hotel do Rio de Janeiro, onde a equipe ficará concentrada para dar início aos preparativos para o torneio do próximo mês.

"A sensação é de frio na barriga, estar realizando o sonho de jogar com vários craques... estou ansioso. Mas agora é focar na Copa das Confederações, que é o mais importante, e levar o Brasil ao título", disse o jogador, durante lançamento no Rio de Janeiro da nova chuteira que vai usar a partir de agora.

Considerado o maior talento do futebol brasileiro nos últimos anos desde que surgiu no Santos, ainda adolescente, Neymar disputará no domingo o amistoso Brasil x Inglaterra, no Maracanã.

A tendência é que ele viaje logo depois da partida para ser oficialmente apresentado pelo clube catalão no dia seguinte. O atacante voltaria na segunda-feira à noite, com chegada prevista para terça de manhã no Brasil.

"Não faz diferença se ele chega na segunda à noite ou na terça de manhã, o importante é que ele não perde o treino de terça à tarde", disse o chefe de comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rodrigo Paiva.

Se Neymar não viajar no próximo domingo, ele deve ir à Espanha depois do amistoso do Brasil com a França, no dia 9 de junho, em Porto Alegre.

Neymar disse no domingo, após seu último jogo pelo Santos, que não sabia o dia da apresentação no novo time.   Continuação...

 
Neymar calça a nova chuteira da Nike Hypervenom, durante o lançamento da chuteira em evento no Rio de Janeiro 28/05/2013. REUTERS/Ricardo Moraes