Fifa abandona proposta para limitar idade e mandatos de dirigentes

terça-feira, 28 de maio de 2013 15:57 BRT
 

Por Mike Collett

PORT LOUIS, 28 Mai (Reuters) - O comitê executivo da Fifa, liderado pelo presidente de 77 anos Joseph Blatter, retirou propostas para impor limite de idade e restringir o número de mandatos de dirigentes que faziam parte de um pacote de reformas que será discutido pelo Congresso da entidade na sexta-feira.

A decisão de adiar por um ano o debate sobre a limitação de mandatos de altos funcionários foi aprovada pelo comitê após sua reunião na ilha de Maurício, no oceano Índico, nesta terça-feira.

A medida foi tomada um dia depois de Blatter, que pode concorrer à reeleição daqui a dois anos aos 79 anos sob as regras atuais, afirmar que impor limites de idade poderia ser considerado uma forma de discriminação.

Blatter se opôs à ideia apresentada pelo Comitê Independente de Governança da Fifa (IGC, na sigla em inglês), que elaborou as reformas a serem discutidas nesta semana.

Em comunicado, a Fifa afirmou: "Como não foi alcançado consenso entre as associações-membro e suas confederações sobre os itens da agenda 'mandatos' e 'limite de idade', será necessária uma análise mais aprofundada."

"Por isso, ambos os itens serão analisados futuramente e o Congresso terá que colocá-los de volta na agenda para o Congresso da Fifa de 2014 com propostas concretas."

Na segunda-feira, Blatter disse ao site da Fifa: "Não cabe a mim, estamos em um processo democrático com as associações votantes. No entanto, pessoalmente, eu já disse que sou contra o limite de idade, por acreditar que não é um critério relevante, nem todo mundo é igual a 60, 70, 80 E etc. Pode até ser visto como discriminatório. Paixão faz a diferença."

Blatter, que pode buscar um quinto mandato como presidente da Fifa em 2015, aos 79, também referiu-se à proposta de limitar o número de mandatos que os dirigentes podem cumprir.

"Eu não sou contra a limitação do número de mandatos, esta regra se aplica em muitas democracias de fato. Mas, então, deve aplicar-se a todo mundo", disse.

O comitê executivo endossou todas as outras propostas de mudanças que serão submetidas à votação na sexta-feira.