Novo presidente do COI continuará sem salário, diz Rogge

sexta-feira, 31 de maio de 2013 10:32 BRT
 

SÃO PETERSBURGO, Rússia, 31 Mai (Reuters) - O sucessor de Jacques Rogge como presidente do COI continuará trabalhando voluntariamente, já que todos os seis candidatos ao cargo rejeitaram a ideia de receber salário, disse Rogge nesta sexta-feira.

O belga, que deixa o cargo em setembro, após ocupá-lo por 12 anos, havia recentemente sugerido que a função fosse remunerada, já que é preciso dedicação integral para dirigir a mais importante organização poliesportiva do mundo.

A eleição do COI está marcada para 10 de setembro, em Buenos Aires.

"Discutimos a questão da remuneração e expliquei por que lancei a ideia", disse Rogge a jornalistas após reunião do comitê executivo.

"Poderia haver uma circunstância em que o candidato é jovem e teria de cuidar da sua família", disse Rogge, que é cirurgião. "Todos os seis disseram que não querem ser remunerados, então isso resolve a questão para esta eleição."

Disputam o cargo os vice-presidentes Thomas Bach (Alemanha) e Ng Ser Miang (Cingapura), o diretor de finanças do COI, Richard Carrion (Porto Rico), o ex-atleta Sergei Bubka (Ucrânia), o dirigente do pugilismo C.K. Wu (Taiwan) e o dirigente do remo Denis Oswald (Suíça).

 
Presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, deixa coletiva de imprensa em São Petersburgo. O sucessor de Jacques Rogge como presidente do COI continuará trabalhando voluntariamente, já que todos os seis candidatos ao cargo rejeitaram a ideia de receber salário, disse Rogge nesta sexta-feira. O belga, que deixa o cargo em setembro, após ocupá-lo por 12 anos, havia recentemente sugerido que a função fosse remunerada, já que é preciso dedicação integral para dirigir a mais importante organização poliesportiva do mundo. 31/05/2013. REUTERS/Alexander Demianchuk