Luiz Gustavo ganha missão de marcador da seleção, mas não se sente titular

segunda-feira, 3 de junho de 2013 17:56 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 3 Jun (Reuters) - Escalado no time titular para o amistoso contra a Inglaterra após uma disputa entre CBF e o Bayern de Munique, o volante Luiz Gustavo acredita que ainda não tem vaga cativa na equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari.

"O professor disse que ia me dar uma chance e ela veio", declarou nesta segunda-feira o jogador do Bayern, que durante a temporada europeia ficou boa parte do tempo no banco de reservas.

"O que fiz ontem não vai me dar cadeira cativa em lugar algum. Sei da dificuldade de jogar na seleção", completou.

Luiz Gustavo esteve em campo durante o primeiro tempo no empate de 2 x 2 do Brasil com os ingleses, quando o time esteve melhor postado e teve uma série de chances de gol. A atuação do time na primeira etapa agradou ao técnico Felipão, que, segundo o volante, lhe deu a missão prioritária de marcar.

"Acredito que não será difícil assimilar o que o professor quer. Ele disse que tenho 80 por cento do tempo para ficar (na marcação) e o Paulinho 80 por cento (do tempo) para atacar", afirmou ele, que só se apresentou à seleção na semana passada, depois de uma queda de braço entre CBF e Bayern, que queria mantê-lo até sábado para a final da Copa da Alemanha.

Luiz Gustavo atuou em clubes menores como CRB e Corinthians de Alagoas antes de seguir para o futebol alemão. O volante atuou no Hoffeinheim e depois se transferiu para o Bayern. Ele não esconde suas características conservadoras em campo.

"Para uma equipe ganhar jogo, não podemos tomar gol", disse ele a jornalistas.

A seleção brasileira segue nesta segunda-feira para Goiânia para iniciar a preparação para o amistoso com a França, no próximo domingo, na Arena do Grêmio.

Se for mantido no time principal, Luiz Gustavo vai deixar no banco um jogador gremista, o volante Fernando. Mais um teste para o jogador do Bayern.   Continuação...