11 de Junho de 2013 / às 19:05 / em 4 anos

Técnico Del Bosque testará evolução espanhola no Brasil

Por Mark Elkington

MADRI, 11 Jun (Reuters) - Vicente del Bosque deverá aprimorar a vitoriosa máquina espanhola para mantê-la em condições de defender seu título mundial na Copa do Mundo de 2014, mas antes disso ainda pode vencer o único título que lhe falta - a Copa das Confederações.

A Espanha conseguiu nos últimos anos um feito inédito - ganhar duas Eurocopas consecutivas, e no meio delas uma Copa do Mundo, a de 2010 - e, sendo a seleção mais bem ranqueada do mundo, provavelmente é mais analisada do que qualquer outro time.

A única mancha no seu currículo recente é a surpreendente derrota por 2 x 0 frente aos EUA na semifinal da Copa das Confederações de 2009, na África do Sul.

Manter o embalo vencedor, incorporar novos jogadores e algumas variações táticas e ainda por cima recuperar o moral do núcleo da equipe são os principais desafios de Del Bosque, um dos mais completos treinadores do futebol mundial.

"Sabemos que no futebol a cada um ou dois anos as coisas mudam, e é difícil manter a autoridade que temos desde 2008", disse Del Bosque em recente entrevista ao site do Diario de la Rioja. "É nossa obrigação continuar tentando."

Os jogadores do Real Madrid e Barcelona continuam a formar a espinha dorsal do elenco, com quatro e nove representantes respectivamente, mas esta tem sido uma temporada longa e desgastante para ambos os grupos, tanto em termos físicos quanto psicológicos.

Para alguns atletas, a seleção é como um refúgio em relação aos problemas nos clubes - caso de Iker Casillas, há mais de uma década titular absoluto no gol espanhol, mas que não disputa uma partida oficial desde janeiro, quando quebrou um dedo em jogo contra o Valencia.

Seu substituto nesse período, Victor Valdés, do Barcelona, teve boa atuação na vitória de 1 x 0 sobre a França pelas eliminatórias da Copa, mas passa por uma fase difícil depois de rejeitar a oferta para renovar contrato com o clube catalão.

Del Bosque, que prefere a evolução à revolução, provavelmente se manterá leal ao seu capitão, dando a Casillas a chance de pegar ritmo de jogo contra o Haiti e a Irlanda.

Alvaro Arbeloa, Sergio Ramos, Xavi e Sergio Busquets também enfrentam problemas físicos, e o influente meia Xabi Alonso foi cortado da seleção para passar por uma cirurgia de quadril.

Quem tem a chance de brilhar com isso é Javi Martínez, de 24 anos, atleta do vitorioso time do Bayern de Munique, que recentemente conquistou a Liga dos Campeões.

Martínez é parte do crescente grupo de jogadores da seleção espanhola que atuam no exterior - eram quatro na Eurocopa de 2012, e serão nove na próxima Copa das Confederações, dos quais oito atuarão no futebol inglês na próxima temporada.

"Mais jogadores estão saindo para jogar fora", disse o zagueiro do Arsenal, Nacho Monreal, numa entrevista coletiva em Miami, onde o time venceu o Haiti por 2 x 1 no fim de semana.

"Na Espanha, muitos times estão passando por dificuldades. Há ofertas interessantes do exterior, e estamos saindo em busca de novos desafios."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below