ANÁLISE-Em construção, seleção só deve ficar pronta para Copa do Mundo

terça-feira, 11 de junho de 2013 19:24 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 11 Jun (Reuters) - A vitória contra a França deu à seleção brasileira um ganho moral para disputar a Copa das Confederações, mas as diversas substituições e mudanças táticas realizadas ao longo da partida mostram que o Brasil ainda está longe de ter um time definido, o que só deve acontecer para a Copa do Mundo de 2014.

Ainda que tenha uma importância infinitamente inferior ao Mundial, a Copa das Confederações, que começa no sábado com o jogo Brasil x Japão, é vista pela torcida como um teste para a seleção brasileira antes do enorme desafio que será voltar a jogar uma Copa do Mundo em casa pela primeira vez desde a tragédia de 1950.

A equipe do técnico Luiz Felipe Scolari, no entanto, ainda não estará pronta no torneio de 15 dias que reúne oito seleções, incluindo os campeões mundiais Uruguai, Espanha e Itália, de acordo com ex-integrantes da seleção em Copas do Mundo ouvidos pela Reuters.

"A seleção brasileira já deveria ter desde o último campeonato mundial preparado uma seleção para 2014, é o que nós não temos", disse Jairzinho, artilheiro da seleção brasileira campeã do mundo em 1970, um time considerado um dos melhores do mundo em todos os tempos.

Depois de uma única vitória nos seis primeiros jogos de Felipão no comando, contra a fraca Bolívia, a seleção brasileira finalmente conseguiu um bom resultado contra os franceses, no domingo, em Porto Alegre. Diante de uma França desfalcada e longe de ser aquele time que tinha em campo o craque Zinedine Zidane, o Brasil foi bem especialmente após as mudanças realizadas pelo treinador no 2o tempo.

O próprio Felipão reconheceu após o jogo que o time ainda não está pronto, mas críticos temem que ele não consiga arrumar a casa a tempo para o torneio preparatório para o Mundial, o que poderia aumentar a pressão sobre o treinador.

Uma eventual nova derrota em casa numa competição oficial, como na Copa do Mundo de 1950, poderia marcar toda a caminhada da seleção até o Mundial do ano que vem.

"Estamos vivendo essa inquietude e esse desequilíbrio que nos preocupa para 2014. Espero que agora na Copa das Confederações o Felipão tenha a visão e a sorte de encontrar a verdadeira seleção para que o Brasil recupere o seu prestígio", acrescentou Jairzinho.   Continuação...

 
O francês Mathieu Debuchy (direita) disputa a bola com o brasileiro Neymer durante amistoso internacional em Porto Alegre. A vitória contra a França deu à seleção brasileira um ganho moral para disputar a Copa das Confederações, mas as diversas substituições e mudanças táticas realizadas ao longo da partida mostram que o Brasil ainda está longe de ter um time definido, o que só deve acontecer para a Copa do Mundo de 2014. 9/06/2013 REUTERS/Paulo Whitaker