Uruguai volta à escola na Copa das Confederações

terça-feira, 11 de junho de 2013 16:04 BRT
 

MONTEVIDÉU, 11 Jun (Reuters) - O ânimo do Uruguai para a Copa das Confederações dependerá de o time ter feito sua lição de casa na crucial partida contra a Venezuela pelas eliminatórias da Copa, quatro dias antes do início do torneio preparatório no Brasil.

Os uruguaios, bicampeões mundiais, foram semifinalistas da Copa em 2010, mas, com um time envelhecido, somam apenas dois pontos nas últimas seis rodadas das eliminatórias.

O técnico Oscar Tabárez teve algum alento com a vitória de 1 x 0 sobre a França num amistoso na semana passada, mas deu a entender que ainda vê um longo caminho pela frente.

"Precisamos usar muito papel e lápis, rasgar e escrever de novo", disse enigmaticamente o ex-professor Tabárez a jornalistas.

"Temos de ir trabalhar no gramado, e de lá sairão as conclusões. Há algumas dúvidas que me fazem refletir. Estamos conscientes de que iremos jogar uma partida que praticamente decidirá as coisas para nós."

Independentemente do que acontecer contra a Venezuela, a "Celeste" está satisfeita em disputar a Copa das Confederações, entre 15 e 30 de junho.

O time ficou entre os quatro primeiros colocados em cinco das 11 Copas do Mundo que disputou. Seu problema normalmente é chegar até lá. Tabárez costuma dizer que a parte mais difícil das Copas são as eliminatórias. Nas três últimas edições, o time precisou disputar uma repescagem para ficar com a vaga, o que conseguiu em 2002 e 2010.

O Uruguai disputa a Copa das Confederações na qualidade de vencedor da Copa América em 2011 - 15º título continental uruguaio. O time já esteve na edição de 1997, na Arábia Saudita, quando ficou em quarto.

Seus destaques continuam sendo o ataque que levou o Uruguai às semifinais na Copa de 2010, com Luis Suárez, Diego Forlán e Edinson Cavani. Mas Forlán já passou do seu auge, e isso pode representar uma chance para aspirantes como Abel Hernández, Gonzalo Castro e Cristian Stuani.

O time tem uma estreia complicada no Grupo B, contra a poderosa Espanha, no Recife. Os outros adversários na primeira fase serão a Nigéria, em Salvador, e o Taiti, novamente no Recife.

(Por Rex Gowar, em Buenos Aires)