México disputa Copa das Confederações com cabeça no Mundial

terça-feira, 11 de junho de 2013 16:06 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO, 11 Jun (Reuters) - A seleção do México que vai disputar a Copa das Confederações chegará ao Brasil esta semana com a cabeça nas eliminatórias para o Mundial do próximo ano.

Mas, embora esteja focada em garantir a classificação para a Copa do Mundo, a seleção mexicana quer fazer uma boa campanha no torneio deste mês, e para isso terá que melhorar bastante o desempenho e eliminar o problema da falta de gols mostrado nas eliminatórias da Concacaf, onde marcou apenas três vezes em cinco jogos.

"O principal objetivo de todo projeto é classificar para a Copa do Mundo, dentro desta classificação estão as demais competições. Estamos na estrada com novos desafios, a ideia é estar no Mundial e depois tudo que está vindo", disse o treinador do México, José Manuel de la Torre.

Depois de ficar ausente da Copa das Confederações de 2009, que foi disputada na África do Sul, o México estará no Brasil este mês para tentar repetir a conquista da edição de 1999, quando sediou o torneio.

Mas a missão é complicada, já que na fase de grupos os mexicanos enfrentarão a seleção brasileira, a Itália e o Japão.

A "Tri", como os mexicanos chamam sua seleção, aposta suas fichas no atacante Javier Hernández, do Manchester United, para definir dentro da área os cruzamentos feitos principalmente por Carlos Salcido, Andrés Guardado e Javier Aquino.

E também no tamanho e na força de Aldo De Nigris, que, com seus cabeceios precisos, tentará acertar as redes adversárias.

De la Torre terá também à sua disposição quatro jogadores importantes no seu esquema e que jogam em times espanhóis: Héctor Moreno (Espanyol), Giovani Dos Santos (Mallorca), Andrés Guardado (Valencia) e Javier Aquino (Villarreal), além do goleiro Guillermo Ochoa, do francês Ajaccio.

A Copa das Confederações no Brasil será a sexta edição do torneio com participação dos mexicanos, que também disputaram a competição na Arábia Saudita em 1995 e 1997, México em 1999, Coreia do Sul e Japão em 2001 e Alemanha em 2005.

(Reportagem de Carlos Calvo)