Técnico do México descarta saída apesar de críticas

quarta-feira, 12 de junho de 2013 11:42 BRT
 

CIDADE DO MÉXICO, 12 Jun (Reuters) - O criticado técnico mexicano José de la Torre disse não ter nenhuma intenção de deixar o posto após o péssimo desempenho de seu time em um empate sem gols, jogando em casa contra a Costa Rica pelas eliminatórias da Copa do Mundo.

"Nunca. Me preparo todos os dias para vencer, não para ficar em pé na lateral", disse a repórteres quando questionado se havia pensado em deixar o cargo.

Os últimos três jogos do México no estádio Azteca, que já foi um campo temido por equipes visitantes, terminaram em 0 x 0. Uma multidão enfurecida pediu a demissão de De la Torre durante o jogo de terça-feira e o México pode receber uma multa depois que objetos foram atirados ao campo.

"Eu acho que os torcedores têm o direito de dizer o que quiserem, eles foram extraordinários, nos apoiaram durante todo o jogo. Todo mundo tem um técnico dentro de si e vai sempre ver as coisas de forma diferente", acrescentou.

"As eliminatórias da Copa do Mundo são complicadas, sempre foram. As outras equipes da região melhoraram, como vimos quando o México e Honduras terminaram entre os quatro primeiros nos Jogos Olímpicos, e às vezes não apreciamos isso."

Apesar do resultado de terça-feira, o México está em terceiro no grupo seis da Concacaf e permanece invicto.

Eles empataram cinco de seis jogos e têm oito pontos, dois atrás do líder Estados Unidos. Os três primeiros se classificam diretamente para a Copa do Mundo e a quarta equipe joga contra a Nova Zelândia, vencedor da Oceania, em duas partidas.

(Por Brian Homewood)

 
Técnico da seeção do México, José Manuel de la Torre, sai de campo após partida pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 contra a Costa Rica no estádio Azteca, na Cidade do México. O criticado José de la Torre disse não ter nenhuma intenção de deixar o posto após o péssimo desempenho de seu time em um empate sem gols, jogando em casa contra a Costa Rica pelas eliminatórias da Copa do Mundo. 11/06/2013. REUTERS/Tomas Bravo