Água-viva impede australiana de concluir travessia a nado Cuba-EUA

quinta-feira, 13 de junho de 2013 10:00 BRT
 

Por Jeff Franks

HAVANA, 13 Jun (Reuters) - A nadadora australiana Chloe McCardel sofreu na quarta-feira uma grave queimadura por águas-vivas e desistiu de se tornar a primeira pessoa a atravessar a nado, sem uma gaiola antitubarões, o estreito marítimo de 106 quilômetros que separa Cuba da Flórida.

McCardel, de 28 anos, já havia passado 11 horas na água quando desistiu da travessia, por causa de uma "ferroada severa e debilitante de água-viva", disse sua equipe de apoio em nota.

"Chloe está agora em um dos barcos de apoio dirigindo-se a Key West. Ela passará as próximas 24 horas se recuperando antes de decidir seus planos daqui por diante."

O mar estava calmo e cristalino quando McCardel começou a nadar, na manhã de quarta-feira, e ela planejava chegar a Key West, na Flórida, na noite de sexta-feira, após cerca de 60 horas de travessia.

Uma equipe de cientistas nos EUA a ajudava a se orientar nas fortes e imprevisíveis correntes marítimas do estreito da Flórida, as quais já haviam atrapalhado várias tentativas anteriores de travessia a nado. Além disso, ela estava ciente do risco representado pelas águas-vivas.

A travessia dela havia sido programada levando em conta a época do ano e a fase da lua, na esperança de que isso minimizasse o risco representado pela venenosa água-viva da classe cubozoa. Vários nadadores já sofreram com essas ferroadas, incluindo a norte-americana Diana Nyad, atacada repetidamente em agosto, na sua quarta tentativa fracassada de cruzar o estreito. Não ficou imediatamente claro qual espécie de água-viva atacou McCardel.

Só uma pessoa, a australiana Susie Maroney, conseguiu até hoje ir nadando de Cuba aos EUA, em 1997. Mas ela usou uma jaula antitubarões, o que ajuda a abrir caminho na água.

Em meados do ano passado, a anglo-australiana Penny Palfrey chegou muito perto das ilhas Keys, mas acabou caindo em um remoinho que a levou para a direção errada.   Continuação...

 
Nadadora de longa distância australiana Chloe McCardel começa sua tentativa para nadar da Flórida até Havana. A nadadora australiana Chloe McCardel sofreu na quarta-feira uma grave queimadura por águas-vivas e desistiu de se tornar a primeira pessoa a atravessar a nado, sem uma gaiola antitubarões, o estreito marítimo de 106 quilômetros que separa Cuba da Flórida. 12/06/2013 REUTERS/Desmond Boylan