Parreira elogia Itália e admite estar "doido" para enfrentar Espanha

quinta-feira, 20 de junho de 2013 20:00 BRT
 

Por Tatiana Ramil

FORTALEZA, 20 Jun (Reuters) - A Espanha é a melhor seleção do mundo e a seleção brasileira quer enfrentá-la para "medir forças" nesta Copa das Confederações, a um ano do Mundial, reconheceu o coordenador técnico do Brasil, Carlos Alberto Parreira, nesta quinta-feira.

Já classificada para a semifinal, a equipe brasileira enfrentará a Itália no sábado para definir a primeira colocação no Grupo A, o que provavelmente evitará um confronto na semi com os espanhóis. Um empate garante a liderança aos brasileiros, que levam vantagem no saldo de gols - os dois times estão empatados com seis pontos no torneio.

"A Espanha é o melhor time do mundo, é o melhor futebol neste momento. Eles levam uma vantagem por estar com o time formado há seis anos. É um desafio, é um jogo que eu estou doido que aconteça, para medirmos força com a melhor equipe do mundo. Mas primeiro temos que passar pela semifinal", disse Parreira em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

"Estamos aguardando com ansiedade essa partida, porque vai ser um choque de dois estilos. A Espanha também precisa encontrar um time que incomode. Eles precisam jogar incomodados e isso eu tenho certeza que a seleção brasileira pode fazer."

A seleção espanhola é a atual campeã mundial e duas vezes campeã europeia, em 2008 e 2012. Com um estilo de troca de passes, o time vem encantando o mundo.

"Nós respeitamos, mas não temos medo do futebol espanhol. Eles têm uma maneira de jogar, um estilo, e não mudam. Isso eu gosto muito. Time bom é aquele que vai para campo jogar o seu próprio jogo, impor o seu estilo, sem ter medo do adversário", declarou Parreira, técnico campeão mundial com o Brasil em 1994.

O time de 1994 ganhou a Copa do Mundo nos pênaltis justamente contra a Itália, o próximo adversário do Brasil, no sábado, em Salvador.

Parreira acredita que o atual time italiano tem um estilo diferente do tradicional futebol do país, conhecido por privilegiar o sistema defensivo.

"A Itália tem um conceito diferente, é um time mais técnico, um estilo agressivo, um time que se solta mais no ataque, que mesclou jogadores experientes com jovens rápidos, sem perder a características de saber se defender", disse Parreira, citando a vitória italiana sobre o Japão por 4 x 3, na quarta-feira, mesmo tendo sido pressionada pelo rival.

"Existe hierarquia no futebol, pode ser quebrada uma vez ou outra, mas de modo geral ela costuma prevalecer", completou ele.

 
Coordenador da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, conversa com treinador da seleção, Luiz Felipe Scolari em foto de arquivob de abril de 2013. REUTERS/Washington Alves