Protestos tiram foco da Copa das Confederações e geram debate na seleção

quinta-feira, 27 de junho de 2013 14:29 BRT
 

Por Tatiana Ramil

BELO HORIZONTE, 27 Jun (Reuters) - As manifestações que ocorrem pelo país viraram assunto de debate dentro da seleção brasileira e tiram o foco da disputa da Copa das Confederações, afirmou o goleiro Julio Cesar nesta quinta-feira.

Antes da partida entre Brasil e Uruguai, na quarta-feira, pela semifinal do torneio, um grande protesto em Belo Horizonte chegou aos arredores do estádio do Mineirão, gerando confronto com a polícia. Um jovem de 21 anos morreu ao cair de um viaduto.

"Nós ficamos sabendo, mas a gente pensou somente em focar na partida. A gente sabe que o Brasil está passando por um momento de manifestações, e que isso acaba tirando muito o foco da Copa das Confederações", disse o goleiro em entrevista coletiva em Belo Horizonte.

"A gente não deixa de seguir o que está acontecendo no nosso país, a gente não deixa de conversar sobre o que vem acontecendo num almoço, num jantar. Acabou virando um debate entre nós jogadores sobre tudo isso que vem acontecendo, mas temos um limite porque estamos representando a Confederação Brasileira de Futebol", completou.

Alguns jogadores, como Hulk, David Luiz, Daniel Alves e Neymar, se declararam a favor das manifestações, mas Julio Cesar acredita que depois da Copa das Confederações, mais atletas vão dar suas opiniões.

"Acabando a competição, acho que os jogadores vão se manifestar. Alguns já fizeram isso e o que a gente mais torce é que isso seja o mais rápido possível resolvido, porque começou com manifestação pacífica e agora veio violência, virou tumulto, quebra carro, invade prefeitura e isso acaba preocupando todo o povo brasileiro", afirmou.

Os protestos no Brasil começaram como um movimento contra o aumento da tarifa de ônibus nas principais cidades, mas rapidamente encamparam temas como o combate à corrupção e repúdio aos gastos do governo com a realização da Copa do Mundo de 2014.

As cidades-sede da Copa das Confederações foram alvos dos protestos, com muitos confrontos entre polícia e manifestantes perto de estádios em dias de partidas da competição.