ENTREVISTA-Observador da seleção aposta em final parelha contra Espanha

quinta-feira, 27 de junho de 2013 22:48 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 27 Jun (Reuters) - Embora ainda seja um time em formação, o Brasil tem totais condições de jogar de igual para igual com a campeã mundial Espanha e a decisão da Copa das Confederações no domingo não terá favorito, disse à Reuters o observador da seleção brasileira Alexandre Gallo.

A Espanha chegou à final depois de um jogo duro com a Itália, que só foi decidido nos pênaltis, ao passo que o Brasil venceu o Uruguai na véspera por 2 x 1 no tempo normal.

Segundo Gallo, o Brasil vem em um processo de evolução e ainda vai jogar a final da competição dentro de casa, diante da torcida brasileira no Maracanã.

"Num jogo como esse não tem favorito, não há time imbatível ou impossível de ser batido", disse ele em entrevista à Reuters. "Quem achar que o Brasil entrará em campo já como vice-campeão estará errado", alertou.

O Brasil chegou às vésperas da Copa das Confederações sem ter vencido um adversário de peso, mas desde o último amistoso antes da estreia na competição, contra a França --vitória por 3 x 0, em Porto Alegre-- o time do técnico Luiz Felipe Scolari emplacou 4 vitórias seguidas --3 x 0 sobre o Japão; 2 x 0 sobre o México; 4 x 2 sobre a Itália e 2 x 1 diante do Uruguai.

Gallo já tem um estudo aprofundado e bem detalhado sobre a campeã mundial Espanha, que também está invicta na competição e não perde um jogo oficial desde a Copa de 2010. A geração de Xavi, Iniesta e companhia jamais enfrentou a seleção brasileira.

O material será entregue a Felipão e ao coordenador Carlos Alberto Parreira e deve ser utilizado para montar o Brasil para a final contra os espanhóis.

Sem revelar muitos detalhes, Gallo adianta que uma marcação mais apertada e mais próxima do Brasil pode ser o caminho para o título do Brasil no domingo.   Continuação...