June 29, 2013 / 7:34 PM / 4 years ago

Parceiros de espanhóis, laterais do Brasil veem times iguais para final

3 Min, DE LEITURA

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 29 Jun (Reuters) - Há anos no futebol espanhol atuando por Barcelona e Real Madrid, os laterais da seleção brasileira Daniel Alves e Marcelo conhecem bem os adversários da final das Copa das Confederações, domingo, no Maracanã, e acreditam que o Brasil não pode temer a forte equipe da Espanha.

O Brasil, que ainda é um time em montagem, nunca enfrentou a atual geração da Espanha formada por nomes como Casillas, Xavi e Iniesta, que alcançou o topo do futebol internacional com as conquistas da Copa do Mundo de 2010 e das Eurocopas de 2008 e 2012.

"Vai ser um jogo de igual para igual. Não troco nenhum jogador de lá por um daqui.... você tem que acreditar, se não o jogo já começa 2 x 0 para eles", disse Daniel Alves, neste sábado, em entrevista coletiva no hotel onde a seleção brasileira está concentrada no Rio de Janeiro para a final. "Nunca jogamos contra eles e não tem como saber. Vamos tentar ganhar para sermos campeões".

A seleção da Espanha não perde um jogo de competição oficial desde a estreia na Copa de 2010, quando foi derrotada pela Suíça, e ainda mantém a base do time campeão europeu em 2008 para a decisão da Copa das Confederações.

A geração de Xavi e Iniesta, companheiros de Daniel Alves no Barcelona, e de Casillas e Sérgio Ramos, parceiros de Marcelo no Real, nunca enfrentou o Brasil. O último amistoso entre as equipes foi em 1999, um empate sem gols.

"Antes da semifinal falei com Andrés Iniesta e disse que domingo íamos estar juntos. Futebol é peculiar. Um dia amigo e outro rival... de hoje para amanhã vou ter amnésia", brincou Daniel Alves sobre os companheiros de clube.

Na sexta-feira, o atacante brasileiro Neymar disse que considerava a Espanha a melhor seleção do mundo e a favorita para a final da Copa das Confederações, apesar de o Brasil jogar em casa e com o apoio da torcida.

As palavras de Neymar, no entanto, não encontraram eco nos laterais do Brasil.

"Não podemos pensar que é impossível só por que eles são os campeões", afirmou o lateral-esquerdo Marcelo.

"A seleção campeã aqui é a Espanha e a gente está montando um time. Eles jogam há muito tempo juntos. A gente vai para a primeira final. Estamos entrosando na Copa das Confederações. Com certeza dá para fazer um grande jogo", acrescentou.

A seleção brasileira decepcionou nos Mundiais de 2006 e 2010, sendo eliminada nas quartas de final. Seu último título foi a Copa das Confederações de 2009. Desde 2010 o Brasil já teve três treinadores diferente: Dunga, Mano Menezes e, agora, Luiz Felipe Scolari.

Em tom de crítica aos treinadores passados, Daniel Alves afirmou que agora o time tem um referência no banco de reservas.

"Essa era a referência que estava faltando, confiar naquela pessoa. A gente pode perder, mas temos referência no banco que te passa coisas positivas", disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below