Estouro de pneus na F1 é desastre de relações públicas para Pirelli

segunda-feira, 1 de julho de 2013 15:38 BRT
 

Por Keith Weir

LONDRES, 1 Jul (Reuters) - "Leve a performance da F1 para seu carro", diz o slogan no site da fabricante italiana de pneus Pirelli. A frase corre agora o risco de alarmar os motoristas depois de uma semana de estouros de pneus em alta velocidade no Grande Prêmio da Inglaterra.

A Pirelli, que fornece os pneus para todas as 11 equipes da Fórmula 1, sofreu o revés de patrocinar a categoria nesta segunda-feira, quando imagens de pneus em pedaços apareceram em milhões de televisores de todo mundo.

"Pneus do terror", era a manchete na contracapa do jornal britânico Daily Mail, enquanto o Times escreveu "Estrada para o inferno quando caos nos pneus quase suspende grande prêmio".

O episódio lembrou a catástrofe de relações públicas que atingiu no ano passado a companhia britânica G4S, quando ela não conseguiu fornecer todos os guardas de segurança necessários para a Olimpíada de Londres, forçando os organizadores a recrutar soldados e expondo a empresa ao ridículo.

Os especialistas em esporte a motor da Pirelli corriam para descobrir o que provocou os cinco problemas com pneus durante o Grande Prêmio da Inglaterra em Silverstone. Buscavam saber se o problema era com o produto deles ou se a culpa era da pista.

Temendo por sua segurança, os pilotos levantaram a possibilidade de boicotar o Grande Prêmio da Alemanha, no fim de semana que vem, caso mudanças não sejam feitas. O último brasileiro a morrer em uma corrida da categoria foi o brasileiro Ayrton Senna, em 1994.

As complicadas regras da Fórmula 1, a política interna e a rivalidade entre as equipes complicaram os esforços da Pirelli para fazer bons pneus de corrida nesta temporada, mas essas sutilezas foram deixadas de lado pela maioria dos espectadores.

"Muitas dessas coisas estão além do controle deles", disse Joel Seymour-Hyde, da agência de marketing esportivo Octagon.   Continuação...