1 de Julho de 2013 / às 20:58 / 4 anos atrás

Título devolve respeito internacional à seleção, afirma Thiago Silva

RIO DE JANEIRO, 1 Jul (Reuters) - A vitória incontestável sobre a Espanha na final da Copa das Confederações devolveu à seleção brasileira o respeito internacional e o status de candidata ao título do Mundial do ano que vem, segundo o ex-atacante Ronaldo e o capitão da seleção, Thiago Silva.

Antes do início da Copa das Confederações, a seleção brasileira estava desacreditada e distante do público em razão dos resultados ruins, troca de treinador, perda do ouro olímpico para o México e falta de um estilo de jogo.

Sem jogar as eliminatórias por ser a sede do próximo Mundial e com mau desempenho nos amistosos, o Brasil despencou no ranking da Fifa e chegou à sua pior posição antes da Copa das Confederações: 22o lugar.

A fase ruim do Brasil vinha incomodando o capitão da seleção brasileira, Thiago Silva. "A Espanha continua sendo a melhor do mundo, mas mostramos ao mundo quem somos de verdade", disse ele a jornalistas.

"Há um ou dois anos eu era muito zoado na Europa pelo fato de a seleção não estar bem. Agora vão ter um pouco mais de respeito. As pessoas tinham perdido esse respeito", acrescentou o zagueiro.

Na Copa das Confederações o time brasileiro foi crescendo ao longo da competição e chegou ao quarto título, sendo três seguidos, de forma invicta. O Brasil superou adversários tradicionais como Itália, Uruguai, México e a campeã mundial Espanha.

"Acho que a seleção voltou a ser a seleção brasileira de sempre. Favorita a conquistar qualquer título de qualquer competição. Tem que respeitar essa camisa canarinha", disse Ronaldo, que é membro do Comitê Organizador da Copa de 2014.

O ex-atacante reafirmou que a Fifa não pode ser responsabilizada pelos problemas sociais e estruturais do Brasil.

"O que as pessoas têm que entender é que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Os problemas do Brasil não são por causa da Fifa e da Copa do Mundo. Acho uma injustiça misturar as coisas", declarou Ronaldo.

O ex-atacante acredita que a Copa vai deixar um legado importante para o país. "A Copa do Mundo é uma grande oportunidade para o Brasil em termos de mobilidade urbana, estádios e outros legados que ficarão para a nossa população", declarou ele.

A Copa das Confederações foi marcada por protestos nas ruas do país e por confrontos entre policiais e manifestantes, que questionavam o alto gasto com os torneios esportivos e pediam melhorias nos setores sociais do Brasil.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below