14 de Julho de 2013 / às 20:59 / em 4 anos

Após Tyson Gay, Asafa Powell também revela teste positivo no antidoping

14 Jul (Reuters) - O ex-detentor da melhor marca dos 100 metros rasos e um dos homens mais rápidos do mundo, o velocista jamaicano Asafa Powell admitiu neste domingo que testou positivo no exame antidoping no campeonato jamaicano de atletismo no último mês.

Powell fez seu anúncio algumas horas depois de seu colega norte-americano Tyson Gay, atual dono da melhor marca dos 100 metros no ano, também revelar que testou positivo para uma substância não-identificável.

"Confirmarei que uma amostra coletada em junho apresentou 'resultados adversos'", disse Powell em comunicado à Reuters.

"A substância oxilophrina (methylsynephrina) foi encontrada, que é considerada pelas autoridades um estimulante proibido", acrescentou o velocista de 30 anos.

"Quero deixar claro para meus amigos e familiares, além dos meus fãs em todo o mundo, que eu nunca consciente ou intencionalmente tomei quaisquer suplementos ou substâncias que quebram qualquer regra. Eu não sou agora, nem nunca fui um trapaceiro."

Powell, que nunca ganhou um grande título como velocista, foi o detentor do recorde mundial nos 100 metros rasos entre 2005 e 2008, quando sua marca de 9.74 segundos foi quebrada pelo atual dono do melhor resultado, o também jamaicano Usain Bolt.

"Esse resultado me deixou devastado em vários aspectos", disse Powell. "Profissionalmente, essa amostra significa que eu não terei nenhuma chance de fazer parte do grupo de atletas da Jamaica que disputará o próximo Mundial de Atletismo em Moscou em agosto."

Powell, que lutou contra lesões no início do ano, não conseguiu classificação para os 100 metros rasos em Moscou, terminando em sétimo. Recentemente, no entanto, ele voltou a alcançar boas marcas, como os 9.88 segundos no começo deste mês em Lausanne, Suíça, que fizeram o jamaicano alimentar esperanças de, ao menos, integrar a equipe nacional no revezamento 4x100.

O agente de Powell, Paul Doyle, disse que não houve intenção alguma do velocista de usar as substâncias proibidas.

"Estamos checando com a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) para saber como a substância entrou no organismo dele", disse o agente pelo telefone.

Powell disse que ficou "chocado com esse resultado inesperado."

"Eu aceito as consequências desse doping, afinal só existe um Asafa Powell", disse. "Minha falha aqui, porém, não foi trapacear, mas sim não ter sido mais atento."

"Quero reiterar que em toda a minha carreira como atleta eu nunca quis melhorar minha performance com substâncias quaisquer. Isso não é do meu feitio, não é algo no qual eu acredito."

Reportagem de Gene Cherry, em Raleigh, nos Estados Unidos

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below