Bicampeão mundial, Djalma Santos morre aos 84 anos

terça-feira, 23 de julho de 2013 22:26 BRT
 

SÃO PAULO, 23 Jul (Reuters) - O lateral-direito bicampeão mundial com a seleção brasileira em 1958 e 1962 Djalma Santos morreu nesta terça-feira aos 84 anos em consequência de uma pneumonia grave, informou o hospital Dr. Hélio Angotti, em Uberaba, interior de Minas Gerais, onde o ex-atleta vivia e estava internado desde o início deste mês.

Apontado por muitos o maior lateral-direito da história, Djalma Santos foi o único jogador brasileiro a defender a seleção da Fifa numa partida em Wembley, em 1963, e representou somente três clubes em sua carreira: Portuguesa, clube que o revelou para o futebol, Palmeiras e Atlético Paranaense, onde se aposentou.

"O Hospital Dr. Hélio Angotti comunica, com pesar, o falecimento do bicampeão mundial de futebol Djalma Santos, em decorrência de uma pneumonia grave e instabilidade hemodinâmica culminando com parada cardiorrespiratória e óbito às 19h30", informou o hospital em boletim médico.

Além de vencer os Mundiais de 1958, na Suécia, e de 1962, no Chile, Djalma Santos também disputou as Copas de 1954, na Suíça, e de 1966, na Inglaterra.

Lateral inovador que avançava para o ataque numa época em que os atletas dessa posição apenas defendiam, Djalma Santos defendeu a seleção em 111 jogos, com 79 vitórias, 16 empates e 16 derrotas. Marcou três gols.

Pela Portuguesa, clube que defendeu por 10 anos, teve como principais conquistas o Torneio Rio-São Paulo de 1952 e 1955. No Palmeiras, levantou a Taça Brasil de 1960 e 1967 e o torneio Roberto Gomes Pedrosa em 1967, competições posteriormente reconhecidas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) como Campeonato Brasileiro da época. No Atlético, venceu o Campeonato Paranaense em 1970.

(Por Eduardo Simões)