Gaviões anuncia liberdade de corintianos presos na Bolívia, clube nega

quarta-feira, 24 de julho de 2013 19:04 BRT
 

SÃO PAULO/BRASÍLIA, 24 Jul (Reuters) - A Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians, anunciou nesta quarta-feira a libertação de cinco torcedores presos na Bolívia acusados de envolvimento na morte do adolescente Kevin Espada. O clube, no entanto, negou a informação horas depois.

"Hoje não tem jogo do Coringão... mas temos a vitória dos nossos irmãos que conquistaram sua Liberdade e estarão de volta", disse a Gaviões em sua conta oficial no Twitter.

Em seu site oficial, a torcida afirmou que os torcedores deveriam deixar o presídio na cidade de Oruro ainda nesta quarta-feira e que "logo mais" estariam em solo brasileiro.

O Corinthians, por sua vez, negou a informação dada pela torcida organizada em nota no site oficial do clube.

"Dadas as notícias das últimas horas, o Sport Club Corinthians Paulista se vê na obrigação de vir a público esclarecer que os cinco presos de Oruro não foram libertados, por ora", disse o clube.

"O que houve foi que o Ministério Público do Distrito de Oruro emitiu parecer favorável à ótica da Justiça Restaurativa", acrescentou, afirmando que os esforços pela libertação dos cinco corintianos "seguem diariamente".

O grupo foi detido num presídio em Oruro em fevereiro, quando Espada, de 14 anos, morreu depois de ser atingido por um sinalizador disparado da torcida do Corinthians durante o jogo entre o time paulista e o San José de Oruro, pela primeira fase da Libertadores da América.

Na ocasião, a polícia boliviana prendeu 12 torcedores corintianos, mas sete já haviam sido libertados no início de junho. Depois da prisão do grupo, um adolescente assumiu, já em solo brasileiro, a autoria do disparo acidental do sinalizador que matou Espada.

O episódio gerou um desconforto nas relações entre Brasil e Bolívia e a presidente Dilma Rousseff chegou a tratar deste assunto diretamente com seu colega boliviano, Evo Morales.   Continuação...