Juiz decide soltar corintianos, que ainda devem ficar 15 dias presos na Bolívia

quarta-feira, 24 de julho de 2013 21:18 BRT
 

Por Daniel Ramos

LA PAZ, 24 Jul (Reuters) - Um juiz boliviano decidiu nesta quarta-feira pela libertação dos cinco corintianos presos na cidade de Oruro acusados de envolvimento na morte do adolescente Kevin Espada, mas o grupo ainda deve ficar pelo menos 15 dias detido, segundo informações dadas à Reuters por fontes judiciais bolivianas.

Isso porque, segundo disseram essas fontes à Reuters, têm de ser respeitados os prazos de 5 dias para contestação da sentença judicial e, após esse período, mais 10 dias para uma manifestação da promotoria.

Mais cedo, a Gaviões da Fiel, torcida organizada do Corinthians, anunciou a libertação dos cinco torcedores, informação negada pelo Corinthians horas depois.

"Hoje não tem jogo do Coringão... mas temos a vitória dos nossos irmãos que conquistaram sua Liberdade e estarão de volta", disse a Gaviões em sua conta oficial no Twitter.

Em seu site oficial, a torcida afirmou que os torcedores deveriam deixar o presídio na cidade de Oruro ainda nesta quarta-feira e que "logo mais" estariam em solo brasileiro.

O Corinthians, por sua vez, negou a informação dada pela torcida organizada em nota no site oficial do clube.

"Dadas as notícias das últimas horas, o Sport Club Corinthians Paulista se vê na obrigação de vir a público esclarecer que os cinco presos de Oruro não foram libertados, por ora", disse o clube.

O grupo foi detido num presídio em Oruro em fevereiro, quando Espada, de 14 anos, morreu depois de ser atingido por um sinalizador disparado da torcida do Corinthians durante o jogo entre o time paulista e o San José de Oruro, pela primeira fase da Libertadores da América.   Continuação...