Missy Franklin iguala recorde de medalhas de ouro em Mundiais

sábado, 3 de agosto de 2013 16:05 BRT
 

Por Iain Rogers

BARCELONA, 3 Ago (Reuters) - A adolescente americana Missy Franklin igualou o recorde de cinco medalhas de ouro em um mesmo campeonato mundial ao conquistar pela segunda vez consecutiva o título dos 200 metros costas, neste sábado, em Barcelona.

A atleta de 18 anos, que pode se isolar com o recorde se os Estados Unidos vencerem a final do revezamento 4x100 metros medley no domingo, conseguiu o recorde do campeonato com 2min04s76. A australiana Belinda Hocking levou a medalha de prata com 2min06s66 e Hilary Caldwell, do Canadá, ficou com o bronze, com 2min06s80.

Franklin já havia sido campeã essa semana nos 100 metros costas, 200 metros livre e nos revezamentos 4x100 e 4x200 metros livre e foi quarta colocada na sexta-feira nos 100 metros livre.

"Wow, @franklinmissy, você não para de me surpreender", disse o treinador Todd Schmitz no Twitter. "Cinco medalhas de ouro e ainda não terminamos".

O quinto triunfo significa que ela igualou um feito anteriormente conquistado apenas pela norte-americana Tracy Caulkins, em 1978, e pela australiana Libby Trickett, em 2007.

"É difícil compreender, mas eu estou muito feliz, porque os 200 metros costas são minha prova favorita, então foi muito divertido", disse em entrevista à emissora de televisão espanhola TVE.

Questionada sobre até onde pode chegar, acrescentou: "Eu não sei. Não acho que posso escolher".

"Estou tão lisonjeada com a quantidade de oportunidades em todas essas provas e é tão empolgante conseguir nadar tantas vezes aqui".

"É uma honra e um privilégio. Eu aproveito cada momento que tenho dentro da água".

Franklin conseguiu o recorde mundial para vencer os 200 metros costas na Olimpíada de Londres no ano passado, e também conquistou o título mundial de Xangai, dois anos atrás.

 
A medalhista de ouro Missy Franklin, dos EUA, posa entre a medalhista de prata Belinda Hocking, da Austrália, e a medalhista de bronze Hilary Caldwell, do Canadá, em Barcelona. 3/08/2013 REUTERS/Michael Dalder