Consórcio diz que segue à frente do Maracanã e busca alternativas após recuos de Cabral

segunda-feira, 5 de agosto de 2013 21:44 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 5 Ago (Reuters) - O consórcio que administra o complexo do Maracanã afirmou nesta segunda-feira que segue à frente da concessão e que busca uma alternativa para sua viabilização, depois que o governo do Estado do Rio de Janeiro desistiu de demolições no local.

"Nos próximos dias, diretores e técnicos estarão debruçados sobre o novo cenário, à procura de uma solução que seja interessante para toda a população, clubes e poder público", disse o consórcio, formado por Odebrecht, IMX, do empresário Eike Batista, e a norte-americana AEG.

O governador Sérgio Cabral decidiu nesta segunda-feira manter a Escola Municipal Friedenreich no terreno da Avenida Maracanã, onde ela funciona atualmente. Na semana passada, ele anunciou que desistiu de demolir o Parque Aquático Julio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros, que fazem parte do complexo.

Pelo edital de licitação, o consórcio vencedor deveria derrubar os dois parques esportivos, mas teria que fazer investimentos para reativá-los em um outro ponto da cidade. Com as mudanças, o Consórcio Maracanã terá um prazo de 20 dias para analisar a situação e a viabilidade do plano de negócios do complexo esportivo.

No local onde estão o parque aquático e o estádio de atletismo, o consórcio vencedor pretendia construir centros comerciais e estacionamento, que fariam parte da arrecadação do grupo.

O consórcio assumiu o compromisso de pagar um total de 181,5 milhões de reais em 33 parcelas pela concessão e teria de realizar obras de quase 600 milhões de reais no complexo do Maracanã.

Outra alteração nos planos iniciais do governo do Estado foi o recuo na decisão de demolir o Museu do Índio, que faz parte do complexo do Maracanã. Nesta segunda-feira, índios que foram retirados do local neste ano, numa ação marcada por confrontos entre manifestantes e policiais, tentavam voltar ao prédio.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)