Presidente da Autoridade Pública Olímpica pede demissão

terça-feira, 13 de agosto de 2013 16:21 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 13 Ago (Reuters) - O presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO) dos Jogos de 2016, Marcio Fortes, entregou carta de renúncia à Presidência da República, abrindo mão do comando da entidade responsável por coordenar a participação dos governos federal, estadual e municipal para a realização da Olimpíada do Rio de Janeiro, informou a APO nesta terça-feira.

Fortes, que foi ministro das Cidades do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi indicado pela presidente Dilma Rousseff para comandar a APO e teve seu nome aprovado pelo Senado em julho de 2011. A entidade não revelou o motivo para o pedido de demissão de Fortes, e tampouco se o mesmo já foi acatado pela Presidência.

A APO foi criada com a responsabilidade de coordenar a participação das três esferas de governo na preparação dos Jogos de 2016, especialmente para assegurar o cumprimento das obrigações assumidas com o Comitê Olímpico Internacional (COI). Uma das missões da entidade era evitar os atrasos e estouros de orçamento que marcaram a organização dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio.

A criação da APO foi um dos compromissos assumidos pelo Brasil com o COI para a realização dos Jogos, com base na experiência bem-sucedida de um órgão público centralizador utilizada na Olimpíada de Londres.

A três anos dos Jogos Olímpicos do Rio, no entanto, a organização do evento ainda nem mesmo fechou o orçamento total e está apenas nos estágios iniciais de diversas obras, enquanto outras ainda nem foram iniciadas.

(Por Pedro Fonseca)