Valcke elogia ritmo da obra no estádio de São Paulo e confirma prazo

segunda-feira, 19 de agosto de 2013 16:54 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO, 19 Ago (Reuters) - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse nesta segunda-feira ter ficado satisfeito com o ritmo das obras no estádio de São Paulo, sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, e confirmou que a arena será entregue no final de dezembro.

"Tivemos uma reunião de emergência, porque tínhamos preocupação sobre a data de entrega, mas quando olho a minha volta tenho certeza de que vai ficar pronto em tempo. Estamos muito satisfeitos", afirmou Valcke a jornalistas no estádio em Itaquera, zona leste da capital paulista.

Valcke havia anunciado em maio passado um acerto para entrega do estádio em dezembro, após reunião no Rio de Janeiro com o Comitê Organizador Local (COL) para o Mundial, o CEO e presidente da construtora Odebrecht, Benedicto da Silva, e o representante do Corinthians para o estádio, Andrés Sanchez.

O estádio de São Paulo tem as obras mais avançadas entre as seis arenas que restam ser entregues para o Mundial de 2014. Segundo o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a arena tem 86 por cento das obras concluídas.

Na semana passada, o ministro havia afirmado que os estádios precisavam acelerar o ritmo de suas obras para ficarem prontos até dezembro, prazo acertado com a Fifa. "O que eu disse é que todos os estádios da Copa das Confederações conheceram um ritmo de aceleração no final... defendemos uma aceleração para que os prazos sejam cumpridos."

Na Copa das Confederações, torneio considerado um teste para o Mundial e disputado em junho, apenas os estádios de Belo Horizonte e Fortaleza cumpriram o prazo e os entregraram seis meses antes da competição, o que prejudicou a realização de eventos-teste.

O torneio foi marcado ainda por manifestações populares por melhorias sociais no país e algumas contra a Fifa e os gastos com as competições. Questionado sobre o assunto, Valcke disse que os protestos estão na pauta de discussões para a Copa, mas que é impossível saber se eles vão se repetir.

"Isso (as manifestações) é parte do que é discutido. É impossível dizer o que vai acontecer. Não tenho ideia. O que é importante é organização se preparar", disse o secretário-geral da entidade que controla o futebol mundial.   Continuação...

 
O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, visita nesta segunda-feira estádio de São Paulo, sede da abertura da Copa de 2014. REUTERS/Paulo Whitaker