Jamaica rebate acusação de controle antidoping frouxo

quinta-feira, 22 de agosto de 2013 21:56 BRT
 

MIAMI, 22 Ago (Reuters) - A Comissão Antidoping da Jamaica (Jadco) reagiu às acusações de má administração e falta de controle feitas por uma ex-funcionária, alegando que suas práticas atendem aos padrões globais.

Renee Anne Shirley, ex-assessora sênior do ministro dos Esportes da Jamaica que era encarregado de coordenar o Programa Antidoping no Esporte, escreveu sobre fatos "preocupantes" em relação ao trabalho da Jadco, em um artigo crítico na revista Sports Illustrated desta semana.

Shirley disse que, entre fevereiro 2012 e o início da Olimpíada de Londres, em julho, a Jadco realizou apenas um teste fora de competição.

A Agência Mundial Antidoping (Wada) emitiu um comunicado nesta quinta-feira pedindo à Jadco para responder "com urgência e de forma adequada" aos comentários de Shirley, que se seguiram a uma série de testes de doping positivos feitos por atletas jamaicanos nos últimos meses.

A Jadco disse que seus procedimentos e processos estavam "de acordo com as normas internacionais", segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira.

A entidade jamaicana afirmou que vem trabalhando em estreita colaboração com a Wada, que fez uma visita em julho do ano passado e "expressou satisfação com o desenvolvimento da Jadco" e seus novos comissários.

"Jadco vai continuar colaborando com a Wada para melhorar seus sistemas, e está garantido que os atletas jamaicanos não enfrentam ameaça de serem barrados nos próximos Jogos Olímpicos ou outros eventos internacionais", acrescentou o comunicado.

A Jamaica, que tem o velocista campeão mundial e olímpico Usain Bolt como ídolo maior, teve alguns casos de doping que prejudicaram sua participação no Mundial de Atletismo de Moscou, incluindo o ex-recordista mundial dos 100 metros Asafa Powell e a medalhista olímpica de prata no revezamento Sherone Simpson.

(Reportagem de Simon Evans)