Wada revoga credenciamento de laboratório antidoping brasileiro

terça-feira, 27 de agosto de 2013 19:47 BRT
 

27 Ago (Reuters) - A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) revogou o credenciamento do laboratório Ladetec, o único credenciado no Brasil para realizar estes exames, por não cumprir com as normas internacionais.

A decisão marca a segunda vez que o laboratório da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que seria responsável pelos exames antidoping da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016, é considerado abaixo dos padrões exigidos, disse a Wada em comunicado nesta terça-feira.

O laboratório também foi suspenso por nove meses em janeiro de 2012, mas foi readmitido após uma visita da Wada ao local que garantiu que as ações corretivas apropriadas haviam sido implementadas.

A revogação, que entra em vigor em 25 de setembro, significa que o laboratório, que já estava suspenso desde 8 de agosto, não está autorizado a realizar exames antidoping em nome da Wada ou de qualquer outra autoridade antidoping.

Enquanto estiver suspenso, o Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico, do Instituto de Química da UFRJ, ou Ladetec, também está inelegível para realizar a análise de amostras de controle de doping para qualquer outra entidade antidoping.

O laboratório Ladetec pode recorrer desta decisão à Corte Arbitral do Esporte (CAS) no prazo de 21 dias. O Ladetec também pode optar por reaplicar para o credenciamento, e pode buscar um processo acelerado junto ao comitê executivo da Wada.

O Ministério do Esporte informou em nota que, juntamente com a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), decidiu formar um grupo de trabalho para apoiar o Ladetec "no processo de correção dos problemas apontados e viabilizar a reacreditação".

"No dia 6 de setembro, o diretor executivo da ABCD, Marco Aurelio Klein, e o diretor do laboratório, Francisco Radler, participarão de reunião com a direção da Wada, no Canadá, para detalhar o processo de 'fast track' mencionado pela entidade internacional para a reacreditação do Ladetec", disse o ministério.

(Reportagem de Steve Keating, em Toronto)