Na reta final, disputa por Olimpíada de 2020 tem briga acirrada

terça-feira, 3 de setembro de 2013 14:56 BRT
 

Por Karolos Grohmann

3 Set (Reuters) - Após dois anos de campanha e diante de problemas diversos, três cidades chegam praticamente empatadas à reta final da disputa para sediar a Olimpíada de 2020.

Istambul, Madri e Tóquio participam no próximo sábado, em Buenos Aires, de uma votação do Comitê Olímpico Internacional (COI) que definirá qual cidade receberá o maior e mais caro evento poliesportivo do mundo.

Líderes políticos e celebridades diversas devem ir à Argentina expressar a apoio a suas cidades preferidas, numa disputa que membros do COI dizem estar totalmente em aberto.

"Não é como antes, quando a decisão costumava já estar tomada", disse dias atrás Thomas Bach, vice-presidente e candidato a presidente do COI. "Desta vez, acho que a apresentação (de cada candidatura em Buenos Aires) será muito importante, até crucial."

Há anos as três cidades vêm divulgando seus trunfos para ser a sede da Olimpíada depois do evento de 2016 no Rio de Janeiro.

Istambul promove o fato de poder realizar uma Olimpíada bicontinental, já que a metrópole turca se divide entre uma parte europeia e outra asiática. Além disso, a Turquia, com uma economia em expansão, espera se tornar o primeiro país de maioria islâmica a realizar os Jogos.

Tóquio, que já recebeu a edição de 1964, apresenta-se como uma opção segura e sólida num mundo em turbulência financeira. Um dos trunfos da candidatura japonesa é reaproveitar instalações já usadas na primeira vez.

A espanhola Madri, candidata pela terceira vez consecutiva, vem salientando o alto percentual de instalações já existentes, e coloca o esporte no coração da sua candidatura.   Continuação...

 
Logotipo da campanha de Tóquio para sediar as Olimpíadas de 2020 é visto entre cerejeiras em um hotel no Japão. Istambul, Madri e Tóquio participam no próximo sábado, em Buenos Aires, de uma votação do Comitê Olímpico Internacional (COI) que definirá qual cidade receberá o maior e mais caro evento poliesportivo do mundo. 07/03/2013 REUTERS/Yuya Shino