ENTREVISTA-Vice-presidente do COI cita atraso na preparação do Rio para 2016

terça-feira, 10 de setembro de 2013 20:55 BRT
 

Por Julian Linden

BUENOS AIRES, 10 Set (Reuters) - Crescentes preocupações sobre o progresso tardio do Rio de Janeiro na preparação para sediar os Jogos de 2016 podem ter desempenhado um papel decisivo na escolha de Tóquio para a Olimpíada de 2020, à frente de Istambul e Madri, disse à Reuters o recém-eleito vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, nesta terça-feira.

Embora tenha reconhecido que é "apenas uma questão de tempo" para um país muçulmano receber o direito de sediar a competição pela primeira vez, Coates afirmou que os temores sobre o lento progresso do Rio podem ter ajudado a inclinar a balança em favor de Tóquio.

"Não há nenhuma dúvida sobre isso. Todas as cidades candidatas tinham algumas questões. Questões econômicas, fundamentais, na Espanha; problemas na Turquia há alguns meses, o que está acontecendo ao longo da fronteira (na Síria) agora; e então Fukushima, em Tóquio", disse Coates.

"No final das contas, Tóquio foi a melhor proposta técnica. Foi a melhor proposta para os atletas, os locais eram os mais próximo à vila, (a cidade) vai trabalhar muito bem e não houve nenhum problema com dinheiro."

"Mas, na parte de trás das mentes de alguns (membros do COI), tenho certeza, está o fato de que temos uma tarefa difícil para lidar com o Rio, então vamos nos certificar com o próximo", completou.

Falando logo depois de ser eleito por unanimidade como vice- presidente do COI, Coates disse que o Rio foi se moldando como Jogos difíceis e enfrenta uma corrida contra o tempo para ficar pronto.

"Nós estávamos lá na semana passada e está em curso. O governo é favorável, eles querem que isso funcione, só tem que haver um pouco mais de cooperação", disse ele.

"Não é uma questão de dinheiro, é só uma melhor integração e coordenação entre o ... governo e o comitê organizador sobre quem faz o que."   Continuação...