Impasse sobre impostos faz China apreender pombos belgas

segunda-feira, 30 de setembro de 2013 21:09 BRT
 

BRUXELAS, 29 Set (Reuters) - Há penas por todos os lados, após autoridades chinesas apreenderem centenas de pombos-correio belgas, incluindo Bolt, o pombo mais caro do mundo, vendido por 310 mil euros no início deste ano.

Bolt foi solto junto com 400 pombos na última quinta-feira, mas outras 1.200 aves continuam retidas pelo governo chinês por conta de um impasse sobre a importação dos animais.

A embaixada belga em Pequim já iniciou negociações com os chineses para pleitear a soltura dos demais pássaros, disse o ministro das relações exteriores da Bélgica neste domingo.

As autoridades chinesas afirmam que as aves foram declaradas para a receita apenas nominalmente, o que significa que a China estaria perdendo passivamente em direitos de importação e impostos.

As taxas de importação correspondem a 10 por cento do valor, e em cima disso, ainda incide um imposto de 13 por cento. Isso corresponde a 75 mil euros apenas no caso do pombo-correio Bolt, avaliam os chineses.

Bolt, nomeado em homenagem ao velocista jamaicano e campeão olímpico Usain Bolt, é considerado o pombo mais caro do mundo porque foi criado pelo famoso columbófilo belga Leo Heremans, o maior especialista no assunto.

Em 2012, Bolt foi considerado o pombo-correio mais rápido da Bélgica, local onde este tipo de competição é tradicional e as regras são bastante precisas.

Mesmo campeão, ele foi leiloado em maio pelo site de leilões de pombos PIPA (abreviação de Pigeon Paradise, ou paraíso dos pombos, em português), e a transação foi aferida pelo chefe do PIPA, Nikolaas Gyselbrecht, que voou para Pequim para negociar com os chineses.

As autoridades chineses concordaram que o PIPA nada tinha a ver com o problema dos impostos e devolveu 401 aves para seus compradores depois que uma "quantia simbólica" foi paga, disse Gyselbrecht à Reuters.

O dirigente do PIPA disse que, para evitar o problema, o governo chinês poderia ter exigido uma enorme quantia relativa ao valor total das aves, estimado em mais de um milhão de euros.

(Por Barbara Lewis)