Diego Costa opta por seleção espanhola, mas ainda não pode ser convocado

sexta-feira, 4 de outubro de 2013 20:37 BRT
 

Por Iain Rogers

MADRI, 3 Out (Reuters) - O atacante brasileiro Diego Costa, do Atlético de Madri, manifestou o desejo de jogar pela Espanha, mas não pode ser convocado até que a documentação necessária seja concluída, informou a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) nesta quinta-feira.

O jogador de 24 anos, que tem nacionalidade espanhola e brasileira, está em boa forma nesta temporada e poderia acrescentar grande valor à selecção espanhola, que muitas vezes joga sem um atacante tradicional.

Ele é o artilheiro do Campeonato Espanhol com oito gols, junto com o argentino Lionel Messi, do Barcelona, e marcou o gol da vitória de 1 x 0 sobre o Real Madrid no último fim de semana, o primeiro triunfo do Atlético no torneio contra seu grande rival neste século.

O técnico da Espanha, Vicente del Bosque, vai anunciar na sexta-feira os convocados para os dois últimos jogos da Espanha nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014 no Grupo I, contra Belarus, em 11 de outubro, e Geórgia, quatro dias depois.

No entanto, Diego Costa terá que esperar para se juntar a nomes como Xavi, Andrés Iniesta e Iker Casillas, já que a Espanha tem que esperar documentação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmando que ele nunca jogou uma partida oficial pela seleção. O atacante chegou a ser convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari para amistosos do Brasil.

"O jogador do Atlético de Madri Diego Costa não pode ser convocado amanhã pelo técnico Vicente del Bosque para os próximos jogos da Espanha, uma vez que a Fifa fez mais exigências", disse a RFEF no site oficial da equipe nacional.

"O jogador, no entanto, hoje expressou verbalmente ao técnico da seleção seu desejo de jogar pela seleção espanhola no futuro", acrescentou.

Diego Costa tem brilhado desde que o argentino Diego Simeone assumiu como técnico do Atlético, no final de 2011. Ele é alto e tem um forte jogo aéreo, além de excelente passe e visão, que causam complicações para as defesas adversárias.

Seus primeiros clubes na Europa foram em Portugal e ele se transferiu do Braga para o Atlético em 2007, passando antes por Celta de Vigo, Albacete, Real Valladolid e Rayo Vallecano, onde marcou 10 gols em 16 partidas no Campeonato Espanhol em 2011-12.

Na última temporada, ele foi fundamental na campanha vitoriosa do Atlético na Copa do Rei, marcando seu oitavo gol em oito partidas no triunfo por 2 x 1 na final contra o Real, no estádio Santiago Bernabéu.