4 de Outubro de 2013 / às 00:30 / em 4 anos

Embargo não vai comprometer entrega de estádio de Curitiba, diz ministro

RIO DE JANEIRO, 3 Out (Reuters) - O embargo às obras na Arena da Baixada, um dos 12 estádios da Copa do Mundo de 2014, não vai comprometer sua entrega até dezembro deste ano, disse nesta quinta-feira o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, acrescentando que os estádios para a Copa estão cerca de 90 por cento prontos.

A paralisação da obra de reforma da arena foi determinada nesta semana pela Justiça do Trabalho devido a riscos aos trabalhadores.

“Não creio que a interdição das obras tenha capacidade de atrasar o calendário de entrega do estádio. Talvez necessitem medidas emergenciais, mas todas as obras, quando planejadas, levam em conta um coeficiente de tempo da ação dos órgãos de controle ou organizações que regulam a construção civil”, disse o ministro a jornalistas em evento no Rio de Janeiro.

Aldo Rebelo afirmou que entrou em contato diretamente com dirigentes do Atlético Paranaense, dono da Arena da Baixada, para obter detalhes da interrupção.

“A informação que recebi do presidente do Atlético é que todas as medidas foram adotadas para corrigir o que há de irregular para que as obras sejam retomadas”, acrescentou ele.

O prazo para entrega dos seis estádios que não foram usados na Copa das Confederações deste ano foi estipulado pela Fifa para dezembro. Fazem parte desse grupo as arenas de Curitiba, Porto Alegre, Manaus, Natal, São Paulo e Cuiabá.

A data para entrega das demais seis arenas para a disputa da Copa das Confederações era dezembro do ano passado, mas só as de Belo Horizonte e Fortaleza ficaram prontas dentro do prazo.

Rebelo considera que as obras nos estádios para 2014 estão bem encaminhadas e que não haverá problemas para o Mundial. “Nós acompanhamos a evolução das obras semana a semana e recebemos balanços... eles estão em média com 90 por cento das obras concluídas e nos dão a segurança que serão entregues em dezembro”, declarou.

OLIMPÍADA NO RIO

Além da Copa do Mundo, outra preocupação é com o andamento das obras para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Alertas já foram feitos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), e a própria prefeitura do Rio admitiu que o prazo para o início das obras do Parque Olímpico de Deodoro, onde vão acontecer provas de várias modalidades olímpicas, está no limite.

O ministro mostrou confiança no cumprimento de prazos das obras esportivas, mobilidade urbana e infraestrutura.

“O calendário das obras de Deodoro não começa com ações de construção civil, e sim a liberação da área, licenciamentos, convênios assinados, mesmo sendo área da União está sob cuidado do Exército. Há entendimentos com Estado e prefeitura em torno de ações”, avaliou.

“Tudo isso já foi feito ou está em estágio de conclusão e temos convicção de que as obras para 2016 tanto para infra, Vila Olímpica e mobilidade serão entregues dentro do prazo”, finalizou.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below